BNDES capta US$ 141 mi com banco alemão para projetos de energia renovável

Montante será destinado ao apoio a solar, eólica, PCH, bioenergia de resíduos, iluminação pública e cogeração na indústria

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social fechou na última quarta-feira (20) nova captação de recursos externos no valor de US$ 141,72 milhões junto ao banco de desenvolvimento alemão Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW). O montante será destinado ao apoio a projetos envolvendo eficiência energética e energias renováveis (solar, eólica, pequenas centrais hidrelétricas, bioenergia usando resíduos, iluminação pública e cogeração na indústria), suprindo uma demanda cada vez maior no país por financiamentos à geração de energia a partir de fontes alternativas.

Segundo o banco de fomento brasileiro, a operação vai contribuir para a mitigação das mudanças climáticas e para a diversificação da matriz energética brasileira, promovendo economia de energia. O acordo entre as duas instituições integra o DKTI (German Climate Technology Initiative), iniciativa conjunta do KfW e do Ministério Federal para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ). O objetivo é incentivar países emergentes e em desenvolvimento a investir em esforços voltados para o meio ambiente e para a proteção climática.

KfW e BNDES mantém parceria desde a década de 1960. Ao longo desse relacionamento, já foram contratadas 14 operações de empréstimo entre as instituições, no montante histórico de US$ 1,07 bilhão. O KfW é controlado em 80% pela República Federal da Alemanha e em 20% pelos seus estados federados. Foi criado em 1948 com o objetivo de financiar projetos de reconstrução da economia alemã no pós-guerra. Desde então, o Banco diversificou suas atividades, passando a financiar investimentos fora da Alemanha, em especial em países em desenvolvimento.