Banco do Nordeste vai disponibilizar R$ 13 bilhões para infraestrutura em 2018

Limite para financiamento de empresas de energia é ampliado para 80%

O Banco do Nordeste, um dos mais importantes financiadores do setor de energia elétrica da região, anunciou na última quinta-feira, 11 de janeiro, que o orçamento do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) será de R$ 27 bilhões em 2018, sendo que R$ 13 bilhões serão disponibilizados para projetos de infraestrutura.O banco também anunciou o aumento do limite de financiamento para empresas do setor de energia para 80%.

“Temos todo o interesse e disposição em atender de forma rápida as demandas desse mercado. Para isso, temos R$ 27 bilhões de orçamento do FNE para 2018, dos quais cerca de R$ 13 bilhões para projetos de infraestrutura”, disse o presidente do BNB, Romildo Rolim, – em evento voltado para investidores e bancos que trabalham na assessoria à estruturação de operações para infraestrutura, especialmente em projetos de energias renováveis, em São Paulo.

O encontro reuniu cerca de 120 participantes e contou com a presença de empresas vencedoras dos últimos leilões de geração de energia A-4 e A-6, realizados no final de dezembro, que incluem grandes investimentos para diversos Estados do Nordeste, especialmente nas áreas eólica e solar. Eles conheceram a composição das novas taxas reduzidas do FNE e as condições de acesso ao crédito.

As novas taxas para as grandes empresas do setor, por exemplo, variam de 5,27% a.a. para projetos de inovação acima de R$ 200 mil a 5,86% a.a. para empreendimentos que realizem investimentos, incluindo capital de giro isolado. Empresas que atuem nas áreas de Água, Saneamento e Logística terão taxas ainda menores, em torno de 5,12% a.a., já incluído bônus de adimplência.

“Essas notícias, logo no início do ano, são muito animadoras, especialmente sobre taxas e limites, para empresas que acabaram de participar de leilões extremamente competitivos”, enfatizou a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Elbia Silva Gannoum.