Índice FDR aponta recuo na atratividade das fontes limpas de energia no mercado livre

Ranking revela que apenas três estados mantiveram boa competitividade para migração ao ACL em março

A FDR Energia divulgou nesta terça-feira, 20 de março, a atualização do Índice Nacional de Atratividade do Mercado Livre para Fontes Limpas de Energia do mês de março. O levantamento atesta que apenas os estados de Tocantins com a nota “0,674”, Pará com “0,663” e Amazonas com “0,646”, mantiveram a boa viabilidade para a migração para o Ambiente de Contratação Livre (ACL), quando comparado com o ranking de fevereiro que destacava 12 estados. O valor médio do Índice para todo país ficou em “0,514” no mês, menor índice desde janeiro.

O ranking também destaca entre os 15 estados mais atrativos: Tocantins, Pará, Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Mato Grosso, Paraná, Rondônia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pauí, Paraíba e São Paulo.

O índice foi calculado com base no preço médio comercializado no mercado livre entre as fontes incentivadas 50 (energia proveniente de Pequenas Centrais Hidrelétricas e usinas eólicas, solares e de biomassa) comparadas com as tarifas de distribuidoras que representam 98% do mercado cativo nacional.

Em linhas gerais, pode-se considerar que valores no índice abaixo de 0,4 como inviáveis financeiramente para migração para o ACL. Entre 0,4 e 0,6, com viabilidade moderada. Entre 0,6 e 0,8, boa viabilidade. Acima de 0,8, com alta viabilidade.