SPIC Pacific Hydro assume operação integral da UHE São Simão

Após seis meses de transição com a Cemig, empresa anuncia início de 100% da operação da usina por um período de 30 anos

Concluindo o processo de aquisição da Hidrelétrica São Simão, a SPIC Pacific Hydro assumiu a operação integral da usina na última quinta-feira, 10 de maio, após um período de 6 messes de transição com a Cemig. A UHE foi arrematada por R$ 7,18 bilhões em setembro de 2017, em um leilão promovido pelo governo federal, que estabeleceu 100% da operação do empreendimento à SPIC por um período de 30 anos.

“O início da operação de uma hidrelétrica do porte de São Simão demonstra a força para investir e a expertise para realizar da SPIC no Brasil”, afirmou Adriana Waltrick, CEO da SPIC Pacific Hydro no Brasil. Com essa aquisição, a companhia passa a contar com uma capacidade instalada de 1.768 MW no Brasil, considerando os 58 MW de energia gerados pelos dois parques eólicos da empresa: Vale dos Ventos e Millennium, em Mataraca (PB).

Situada à margem do Rio Parnaíba, entre os estados de Goiás e Minas Gerais, a usina tem capacidade instalada de 1.710 MW, suficiente para abastecer uma cidade de 6 milhões de habitantes. São Simão possui uma barragem de 3,5 km de comprimento por 127 metros de altura. O Lago Azul é capaz de armazenar 2,54% do volume dos reservatórios de hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que equivale a 6,7% do armazenamento de água do subsistema do Rio Paranaíba.

Da energia gerada na hidrelétrica, 70% destina-se ao mercado cativo, enquanto os 30% restantes são voltados para o mercado livre. Para atender geradores, comercializadoras e grandes consumidores do mercado livre, a empresa está estruturando uma robusta operação de comercialização.

“A SPIC Pacific Hydro busca ser um player relevante no mercado brasileiro e enxerga o país como chave na expansão internacional dos negócios. Este é um mercado em pleno crescimento e queremos fazer parte do desenvolvimento e fortalecimento do setor. Por isso, estamos estruturando uma robusta operação de comercialização”, concluiu Adriana.