Governo fará leilão de térmicas a gás no NE

Meta é aproveitar final de contratos de usinas a óleo e a diesel e substituí-las por gás natural ao passo que a produção nacional aumente

Em uma reunião realizada nesta quinta-feira, 7 de setembro, o governo discutiu a realização de leilões regionais para a contratação de  térmica a gás natural na base. O primeiro leilão ocorreria no Nordeste, com o objetivo de substituir usinas que geram energia com óleo combustível e diesel, reduzindo os custos de geração nessas centrais que estão com o contrato para vencer.
No encontro estiveram além do ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, os diretores gerais da Aneel, André Pepitone, e da ANP, Décio Oddone, bem como o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Reive Barros.
Um dos argumentos utilizados para essa ideia, além de diminuir os custos da energia, é fomentar o aproveitamento do gás natural produzido no Brasil, especialmente na região do pré-sal e no Nordeste, estabelecendo condições que permitirão o desenvolvimento de projetos para incrementar a oferta de gás no mercado brasileiro, aumentando a arrecadação e reduzindo as emissões de gases efeito estufa.
De acordo com comunicado do MME, a ANP e a EPE farão uma tomada pública de contribuições (TPC) conjunta para identificar mecanismos de substituição, nos contratos de fornecimento de gás, do combustível importado (GNL) pelo gás doméstico quando os projetos de produção estiverem concluídos. E ainda, foi criado um fórum permanente de integração entre os três órgãos com reuniões periódicas para “acompanhar e implementar políticas no setor de energia, garantir a integração dos setores de gás e energia elétrica, preços justos e abundância no fornecimento de energia”.