Liquidação financeira de cotas registra inadimplência de 7% em agosto

Da mesma forma, liquidação de usinas nucleares também registrou inadimplência de 5%

As liquidações financeiras de energia nuclear e cotas de garantia física e potência, referentes a agosto de 2018, movimentaram R$ 1 bilhão, sendo registradas inadimplências de 5,03% e 7,05%, respectivamente, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nesta segunda-feira, 24 de setembro.

No caso da liquidação de cotas, a operação somou R$ 746.352.551,66 dos R$ 802.959.738,94 contabilizados, o que representa adimplência de 92,95%. A liquidação de cotas é a operação na qual 44 distribuidoras de energia pagam para as geradoras envolvidas nesse regime uma receita de venda definida pelo governo – as hidrelétricas cuja concessão foi renovada ou expirada e que são alcançadas pela Lei 12.783/13. Os empreendimentos enquadrados no regime de cotas somam mais de 12 GW médios de garantia física.

A liquidação financeira de energia nuclear é a operação pela qual 44 distribuidoras de energia elétrica rateiam a produção das usinas de Angra I e II, que pertencem à estatal Eletronuclear e estão instaladas em Angra dos Reis (RJ). Em agosto, a operação liquidou R$ 281.453.227,17 dos R$ 296.358.010,78 contabilizados, com adimplência de 95,81%.

Ambas as liquidações foram atribuídas à CCEE em 2013, sendo que a das usinas de Angra passou a ser realizada em separado pela instituição em atendimento à Lei 12.111/2009, enquanto a liquidação de cotas foi atribuída pela Lei 12.783/13.