Consumo de energia segue quebrando recordes em Santa Catarina

Temperatura aumentou o uso de condicionadores de ar, aumentando a demanda por energia elétrica

A demanda de energia elétrica na área de concessão da Celesc, em Santa Catarina, quebrou três recordes seguidos em janeiro, nos dias 15 (4.875 MW), 16 (4.989,82 MW) e 17  (5.030 MW). O último recorde havia sido registrado em 12 de dezembro passado: 4.826 MW.

Segundo Gustavo Cavalcante de Carvalho Rocha, chefe do Departamento de Comercialização da Celesc, a demanda está alta não somente no período da tarde, onde foram registrados os recordes, ou à noite, quando entra o sistema de iluminação pública. “Ontem (17/1), por exemplo, o pico da noite reduziu apenas 20% da demanda máxima”, disse.

Dados preliminares de consumo do Operador Nacional do Sistema (ONS) apontam crescimento de 13,7% na demanda em Santa Catarina na comparação com a temporada 2017/2018. O último boletim consolidado com dados de mercado, divulgado em 6 de dezembro de 2018, mostrou crescimento do consumo de energia elétrica na área de concessão da Celesc de 2,3% no acumulado do ano passado e, na comparação de 12 meses, relativa ao mesmo período anterior, a variação positiva foi de 2,8%.

O destaque foi justamente o desempenho da classe residencial, com crescimento de 5,2% do consumo faturado na comparação com igual período de 2017. Esse incremento elevou o acumulado no ano dessa classe de consumo a 2,2%, perto do incremento de 2,3% do mercado total, indicando segundo semestre mais robusto nesse segmento.

“Esse aumento brusco de temperatura tem como conseqüência maior utilização de aparelhos condicionadores de ar, que demandam bastante potência”, explicou Carvalho Rocha.