Taesa eleva volume de captação via debêntures

Novo montante aprovado é de R$ 1,06 bilhão que serão utilizados para as operações da empresa para os projetos Mariana e Miracema

O conselho de administração da Taesa aprovou o aumento do valor a ser captado por meio da sexta emissão de debêntures da empresa. O montante passou de até R$ 850 milhões para R$ 1,06 bilhão. A medida foi tomada em reunião realizada na última quarta-feira, 17 de abril. Agora serão duas séries de papeis emitidos a primeira no valor original e os R$ 210 milhões adicionais corresponderão à segunda série. Os papeis terão o mesmo valor de face, de R$ 1 mil cada um.
O prazo de vencimento das debêntures da primeira série será de sete anos e da segunda série será de 25 anos, contados da data de emissão. A primeira será da espécie quirografária e a segunda da espécie com garantia real.
De acordo com a transmissora os recursos líquidos captados com a integralização das debêntures da primeira série serão utilizados para reforço de caixa para aplicação nos negócios da empresa. Já os recursos captados com a segunda série serão utilizados exclusivamente para os projetos enquadrados como prioritários, nos termos das Portarias do Ministério de Minas e Energia (“MME”) nº 39, de 21 de fevereiro de 2017 para o projeto Mariana Transmissora de Energia e nº 40, de 22 de fevereiro de 2017 referente ao Miracema Transmissora de Energia.