Militar toma posse como novo diretor do Parque Tecnológico de Itaipu

General Garrido entra com o desafio de dar continuidade à reorganização da instituição, que agora tem como foco dar sustentabilidade à operação da usina

Indicado pelo general Silva e Luna, Eduardo Castanheira Garrido Alves deixou o cargo de assessor especial do Ministro da Defesa para assumir a diretoria do Parque Tecnológico de Itaipu (PTI). O militar chega com a promessa de muita dedicação e trabalho integral à missão da instituição. “Um gestor por excelência”, ressaltou Silva e Luna. “Diria que, nas Forças Armadas, talvez fosse o mais preparado em termos de planejamento estratégico voltado a finanças e orçamento”, completou o diretor-geral brasileiro da Itaipu.

Segundo Garrido, a integração do PTI com Itaipu será cada vez maior e com foco voltado principalmente para atender às necessidades da usina, em especial a sua atividade-fim, que é a geração de energia. Entre os apoios mais importantes está o suporte ao projeto de atualização tecnológica da hidrelétrica, processo que garantirá a Itaipu a produção nos mesmos patamares de hoje, com sucessivos recordes de geração.

Outras ações de grande relevância do PTI para o Oeste do Paraná devem continuar, como a gestão do Complexo Turístico Itaipu (CTI) e o apoio ao empreendedorismo por meio das incubadoras instaladas no parque. “Essas são grandes vocações da região, então o apoio do PTI será total”, disse Silva e Luna. “A forma de melhorar e ampliar isso nós vamos construir juntos, a partir de agora”, complementou, afirmando serem grandes frentes que o PTI não pode abrir mão.

Com a vinda do militar, eleito pelo Conselho de Curadores do PTI no dia 26 de junho, a diretoria do PTI fica completa. Flaviano da Costa Masnik, diretor administrativo-financeiro, ocupava interinamente o cargo de diretor-superintendente desde maio deste ano. A diretoria técnica é comandada por Rafael José Deitos. Os dois são empregados de carreira da binacional.

Na solenidade de assinatura do termo de posse, o novo diretor-superintendente recebeu as boas-vindas do diretor-geral brasileiro da Itaipu, com quem já trabalhou quando Silva e Luna foi ministro da Defesa, entre fevereiro de 2018 a janeiro deste ano. De acordo com o diretor-geral brasileiro da usina, Garrido entra com o desafio de dar continuidade à reorganização da instituição, que agora tem como foco dar sustentabilidade à operação da usina.

Após as adequações, o PTI deve atuar com projetos de diversificações das fontes energéticas e armazenamento de energia. “Nosso foco é a missão da Itaipu, que é gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai”, disse Silva e Luna.

Já o diretor administrativo-financeiro do PTI, Flaviano da Costa Masnik, que ocupava interinamente o cargo de diretor-superintendente, explicou que, para adequar a atuação às necessidades da Itaipu, o PTI já vem fortalecendo projetos como, por exemplo, de automação e simulação de sistemas elétricos e segurança de barragens. “Tenho certeza de que o general Garrido é o líder que vai não apenas dar continuidade a essa otimização dos projetos do PTI, como efetuará os ajustes necessários na instituição”, afirmou Masnik.

Prioridades

O novo executivo da companhia reforçou seu compromisso com resultados, dizendo ser muito “arraigado a esse conceito de entregas”, devido a sua experiência com a área de logística, onde sempre tinha que entregar um suprimento na hora certa e no momento exato. Ele afirma que a otimização dos recursos da instituição também será prioridade na sua gestão, prevendo o aumento de produtividade. “Vamos buscar a valorização dos trabalhadores do PTI, buscando a motivação para que cada vez mais eles se sintam inseridos nas relações do parque e no sucesso da nossa mantenedora, porque isso representará o sucesso de todos nós.”

O militar salientou que o compromisso que teve com o Exército, onde ficou ao longo dos últimos 44 anos, trará para o PTI muito trabalho e dedicação integral. Ele entrou para a reserva da corporação na última sexta-feira (5), declarando que o desafio o levou a aceitar o convite. “Além de vir para uma atividade nova, atender a uma convocação do general Silva e Luna me motiva. Sei da sua capacidade e boas intenções e acho que posso colocar uma pedrinha nessa construção que ele está fazendo por aqui”, ressaltou.

Instalações

Após a cerimônia de posse, o novo diretor do PTI conheceu o Laboratório de Automação e Simulação de Sistemas Elétricos (Lasse), que desenvolve soluções customizadas para o setor elétrico; o Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes, que reúne sistemas como monitoramento de estações climáticas e iluminação inteligente; o Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens (Ceasb), que possui 21 projetos em andamento em prol da segurança da barragem da Itaipu; e o Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²), que atua na segurança proteção e defesa de infraestruturas críticas.