Celesc e Copel assinam termo de cooperação técnica

Parceria tem foco na solução de problemas e identificação de oportunidades nas área de GD, comercialização de energia, inadimplência, perdas de energia

A concessionária de eneria de Santa Catarina Celesc assinou um acordo de cooperação técnica com a paranaense Copel. O acordo, que tem duração de dois anos podendo renovar por mais dois, visa a troca de experiências entre as duas empresas com o objetivo de aprimorar e aperfeiçoar a gestão das duas empresas.

Segundo a Celesc, o acordo firmado entre as empresas será a maneira de formalizar a parceria com foco na solução de problemas e identificação de oportunidades nas área de micro e minigeração distribuída, comercialização de energia, inadimplência, perdas técnicas e não técnicas, essa última ocasionada pelas ligações irregulares, conhecida como gatos.

O presidentes da Celesc, Cleicio Poleto Martins, destacou que é uma grande oportunidade para as duas empreas. “Esse é o momento para que haja uma sinergia intelectual a fim de que as empresas se fortaleçam frente a esse mercado. É uma parceria importante, porque assim como nós, a Copel é uma empresa estatal, que pretende permanecer como pública. Hoje existem cinco grandes players e a gente não pode perder esse compasso de fazer união de esforços, em prol de uma empresa eficiente, buscando ser o mais próximo possível daquilo que regulatoriamente é permitido”, completou.

As duas empresas se comprometem a designar representantes técnicos e estabelecer grupos de trabalhos conjuntos, para desenvolver projetos, ações e atividades relacionadas às áreas envolvidas no acordo. Outros temas abordados serão as metas de concessão, indicadores de qualidade de serviço, além de soluções em eficiência energética e pesquisa e desenvolvimento em mobilidade elétrica.

“Estamos enxergando esse movimento como engenhoso. Temos que pensar como nos aproximar para ganhar escala. Na área de comercialização, precisamos avançar, ainda mais, e amadurecer para sermos parceiros estratégicos”, enfatizou o presidente da Copel, Daniel Pimentel.