Ternium inicia uso de biometano em processo de produção de aço no Rio

Unidade siderúrgica localizada na zona oeste da capital fluminense utiliza gás renovável oriundo do maior aterro sanitário da cidade

A siderúrgica Ternium começou a utilizar gás natural renovável nas operações do seu complexo de produção localizado na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Oriundo do Aterro Sanitário de Seropédica, situado próximo à planta da empresa, o biometano deverá substituir mais de 30% do consumo de gás natural fóssil usado pela empresa na unidade carioca, contribuindo com a redução das emissões de gases de efeito estufa.

A siderúrgica prevê um consumo diário de 72 mil normal metro cúbico de gás renovável para uso térmico no alto forno, aciaria, coqueria e sinterização, processos da cadeia de produção de aço.

De acordo com o vice-presidente de Operações da Ternium no Brasil, Titus Schaar, o uso do gás renovável para produção de aço é inovador. O aterro de Seropédica é o maior da América Latina, recebendo diariamente dez mil toneladas de lixo de aproximadamente dez milhões de pessoas das cidades do Rio de Janeiro, Seropédica e Itaguaí.

O aterro conta com uma usina de produção de biometano, processo que consiste na purificação do biogás a partir da remoção de CO², enxofre e da redução de nitrogênio. O biometano pode ser aproveitado como combustível veicular ou para geração de calor, caso da planta da Ternium.