Consumo de gás no país aumenta 4,7% em setembro

Na comparação anual, dados da Abegás mostram queda de 6,5% e de 4% na demanda industrial; GNV se destaca com alta de 15%

O consumo total de gás natural no Brasil no mês de setembro chegou a 74,09 milhões de metros cúbicos por dia, avançando 4,7% em relação a agosto, quando a demanda registrou 70,79 milhões. Já na comparação anual, a queda é de 6,5%, informa o levantamento estatístico da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), realizado com concessionárias em todas as regiões do país. O boletim aponta crescimento de 2,53% na demanda industrial frente ao mês anterior, indo de 27,68 para 28,38 milhões m³/dia e queda de 4,08% em relação aos dados de setembro de 2018. No acumulado do ano, ligeira variação negativa de 0,44%.

O destaque do mês é o consumo automotivo, que registrou alta de 20,2% na comparação a agosto e de 15,1% em 12 meses, acumulando 4,9% de expansão em 2019.  “O crescimento no consumo de GNV aconteceu em São Paulo, Bahia e Pernambuco, mas foi puxado principalmente pelo Rio de Janeiro, que conta com uma frota de mais de 1 milhão de veículos convertidos”, explica Augusto Salomon, presidente executivo da Abegás.

Sobre os resultados negativos da comparação anual, Salomon comentou que o grande desafio para o aumento do consumo — especialmente o industrial — é fazer com que o Novo Mercado de Gás estabeleça medidas que ajudem a efetivar a concorrência na oferta. “Um exemplo de como o agente dominante ainda tem o controle do mercado é a chamada pública conjunta realizada por sete distribuidoras do Nordeste. Entre agosto de 2018 e setembro de 2019, as distribuidoras receberam 39 propostas de fornecimento de gás. Mesmo assim, somente a Petrobras manteve a oferta e a preços mais elevados que os vigentes”, avalia.

Na análise por segmentos, o automotivo teve a maior alta no mês, com o consumo de Gás Natural Veicular (GNV) subindo 20,2% na comparação com agosto e acumulando alta de 4,9% em 2019. A indústria mostrou recuperação, com crescimento de 2,5% e apenas 0,4% abaixo da marca do ano anterior. O consumo residencial aumentou 3,7% em relação a agosto, representado por mais de 3,6 milhões de residências no país. O comércio segue apresentando bons resultados, acumulando alta de 8,7% no ano.

Por sua vez a geração elétrica mostrou alta de 4,6% em setembro, ainda que tenha apresentado retração de 15,4% no acumulado do ano. A Cogeração acompanhou os resultados do setor industrial, com acréscimo de 3,8% no mês. Entre as regiões do país, os destaques ficam para o Norte, Centro-Oeste e Sul, com respectivas altas de 109,2%, 17,9% e 9,8% no segmento comercial, além do crescimento automotivo de 21,3% no Sudeste e 8,8 no residencial na região Nordeste.