CEO da Enel não vê base para governo de Goiás cassar concessão da Enel

Empresa relembra situação ruim da rede quando assumiu empresa e altos investimentos feitos desde então

O CEO global da Enel, Francesco Starace, não vê fundamento para qualquer revés na concessão da Enel Distribuição Goiás e mantem a disposição do grupo em continuar com a distribuidora. O governador Ronaldo Caiado (DEM) quer anular a privatização e encampar a distribuidora por eventual má prestação do serviço. Há um projeto sendo elaborado na Assembleia Estadual nessa direção.

O executivo lembrou no Enel Capital Markets Day, realizado nesta terça-feira, 26 de novembro, que a concessão é federal, não é gerida pelo governo do estado. De acordo com ele, a Enel GO vem recebendo investimentos 3,5 vezes maiores que o previsto desde que assumiu a concessionária, em fevereiro de 2017.

“Não é algo que possa se consertar em meses”, afirma o executivo. Ele ressaltou que o estado do sistema da antiga Celg era bem ruim e que após a privatização, ela vem melhorando os seus índices de qualidade, ficando até abaixo do regulatório. Starace acredita que o governador está no seu papel de pressionar por melhores investimentos. “Estamos com foco em trabalhar para Goiás”, avisa. Quando ainda era senador, Caiado já se posicionava contra a venda da empresa, tendo uma célebre discussão com o então ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que conduzia o processo com o governador à epóca Marconi Perillo, desafeto político de Caiado.

Após vencer a eleição e assumir o cargo de governador, ele revogou decreto previsto no edital da privatização que permitia compensar passivos contingentes da distribuidora e começou a questionar a qualidade do serviço, pedindo a anulação da operação e uma nova venda.

Em agosto, foi firmado um novo acordo perante o órgão regulador, que previa acelerar os investimentos, o que pareceu ter acalmado a insatisfação do governador. Porém, no fim de novembro, Caiado voltou a disparar contra a Enel Goiás, prometendo levar a situação ao presidente Jair Bolsonaro, de quem é um dos maiores e mais próximos aliados políticos. Em evento essa semana, o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque também não viu a possibilidade de a concessão da empresa ser cassada via poder legislativo de Goiás.

*O repórter viajou a convite da Enel