ABB assina contrato para modernizar hidrelétrica de 1,2 GW da Copel

Investimento de US$ 2,5 milhões prevê sistemas de excitação e regulação de velocidade para quatro turbinas da UHE Governador José Richa, o que melhora a confiabilidade energética no Paraná

A multinacional ABB irá fornecer sistemas de excitação e regulação de velocidade para quatro turbinas da hidrelétrica Governador José Richa, ajudando a Copel a melhorar a visibilidade de seus dados operacionais através de diagnósticos preditivos. A UHE foi construída há 20 anos no rio Iguaçu e tem potência instalada de 1240 MW, sendo capaz de atender às demandas energéticas de aproximadamente 4,5 milhões de habitantes, cerca de 40% da população do Paraná. O contrato foi assinado recentemente entre as partes, e é da ordem de US$ 2,5 milhões.

Maurício Cunha, Chefe de Automação Industrial da ABB Brasil, afirmou que a atualização do sistema de excitação e dos reguladores de velocidade da turbina e sua integração no sistema de automação “ABB Ability™ 800xA” melhorará o desempenho e a confiabilidade da usina. Segundo ele o sistema de excitação estática (SES) Unitrol® 6000 inclui um controlador de alto desempenho. “O hardware moderno permite que o loop de controle do Unitrol® 6000 reaja mais rapidamente às perturbações da rede, sem desconectar a unidade da rede”, resume, afirmando que o novo sistema inclui um regulador de velocidade da turbina e está em conformidade com os regulamentos do código da rede.

Usina Salto Caxias pode atender a 40% da população do Paraná (foto: Copel)

A solução também possui dois canais separados e um canal de backup adicional para controle de emergência do gerador, cada um projetado para lidar com a corrente máxima de campo, aumentando a confiabilidade. A manutenção de troca a quente – técnica para substituir ou adicionar componentes sem parar ou desligar o sistema -, enquanto o sistema ainda estiver em operação, irá contribuir para disponibilidade e estenderá o tempo de atividade do gerador na planta. O tempo maior de atividade aumenta a lucratividade, além de proteger os componentes elétricos.

Na avaliação de Jaime de Oliveira Kuhn, Superintendente de Geração de Energia da Copel GeT, a modernização visa aumentar a eficiência operacional da usina, uma meta estratégica da concessionária paranaense, que entende precisar garantir a manutenção dos altos níveis de desempenho e confiabilidade que a hidrelétrica apresentou nos 20 anos de operações e um total de mais de 130 milhões de MWh gerados. “O suporte ao ciclo de vida da ABB nos ofereceu a tranquilidade de poder atualizar nossos sistemas e ter certeza de que o treinamento apropriado seria fornecido, sem a necessidade de preocupação com o tempo de inatividade dispendioso”, revelou.