Leilão A-2 movimenta R$ 838,4 milhões em contratos de energia

No produto disponibilidade, venderam energia três térmicas do complexo Parnaíba, da Eneva, e a UTE Ibirité, da Petrobras

O leilão de energia existente A-2 terminou nesta sexta-feira, 6 de dezembro, com R$ 838,4 milhões em contratos negociados. Participaram como compradoras as distribuidoras CEA, Cemar, Equatorial Piauí, Coelba e Light. No produto quantidade, estão entre os vendedores as empresas Argon Comercializadora, Bio Energias, Brasil Comercializadora, Eletronorte, Statkraft, Stima e Tradener. No produto disponibilidade, venderam energia três térmicas do complexo Parnaíba, da Eneva, e a UTE Ibirité, da Petrobras.

O preço médio de venda para o produto quantidade de R$ 165,35/MWh representou um deságio de cerca de 13,98% em relação ao preço teto de R$ 190/MWh. O preço médio de venda para o produto disponibilidade de R$ 182,86/MWh representou um deságio de cerca de 3,76% em relação ao preço teto de R$ 190/MWh. O leilão A-2 tem período de suprimento de 1º de janeiro de 2021 a 31 de dezembro de 2022.

Mais cedo, o leilão de energia existente A-1 terminou com R$ 80,5 milhões em contratos negociados. O preço médio de venda de R$ 158,37/MWh representou um deságio de cerca de 16,65% em relação ao preço teto de R$ 190/MWh. Participaram como compradoras as empresas Enel Rio, CEA e Cemar. O leilão A-1 tem período de suprimento de 1º de janeiro 2020 e término em 31 de dezembro de 2020. Não foi possível identificar os agentes vendedores.

Os leilões foram promovidos pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).