Neoenergia consegue R$ 2,45 bilhões em financiamentos do BNDES

Empresa também anunciou término de obras e obtenção de LI em projetos de transmissão

A Neoenergia informou em comunicado ao mercado na última quinta-feira, 19 de dezembro, que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social aprovou três financiamentos para empreendimentos de transmissão e geração, que somam R$ 2,45 bilhões. No lote 4 do leilão de LTs de dezembro de 2017, foram R$ 778 milhões, enquanto no lote 4 do leilão de abril de 2017 o valor ficou em R$ 375 milhões. Já para o financiamento dos 12 parques do Complexo Chafariz o valor concedido ficou em R$ 1,3 bilhão.

Nos empreendimentos de transmissão, o financiamento será de 70% do investimento, com prazo de 24 anos, carência de até 3 anos a um custo de IPCA + 3,51% ao ano. No projeto eólico, o prazo também é de 24 anos, com carência de até 3 anos, mas o custo é de IPCA + 4,11% ao ano.

A empresa também falou no comunicado ao mercado sobre o lote que arrematou no leilão de LTs de 2019. O lote 9, na Bahia, compreende uma LT de 210 km de extensão e 2 subestações. O prazo máximo para a construção das obras é de 48 meses a partir da assinatura dos contratos e tem investimentos previstos de  ordem de R$ 303 milhões. A Receita Anual Permitida (RAP) dos novos empreendimentos totaliza R$ 18 milhões.

Ela revelou ainda que protocolou junto ao Operador Nacional do Sistema Elétrico a solicitação do Termo de Liberação de Receita do lote 20 do leilão nº 05/2016 de abril de 2017, tendo em vista a conclusão da construção do projeto com antecedência de 14 meses em relação ao prazo contratual, que é fevereiro de 2021. A Subestação está localizada no estado de São Paulo, contou com um capex 38% inferior ao investimento de R$ 141 milhões, estimado originalmente pela Aneel. A RAP definida para ele é de R$13,278 milhões.

Já as LTs 500 kV Miracema – Gilbués II C3 e LT 500 kV Gilbués II – Barreiras II C2 que atravessam os estados da Bahia, Piauí, Tocantins e Maranhão tiveram expedida a Licença de Instalação pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Com isso, as obras de instalação já podem começar. O prazo estipulado pela ANEEL para energização da concessão do empreendimento Lote 04 é março de 2023.