Sudeste registra volatilidade mais elevada nesta quinta (23)

Submercado norte fica com a menor variação do dia com 5,9%

O CMO na base semi horária, que é calculado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico por meio do modelo Dessem, apresentou nesta quinta feira, 23 de janeiro, oscilação mais elevada no submercado sudeste/centro oeste, 7,71%. Esse é o resultado do valor mais baixo em R$ 335,27 e o mais alto de R$ 361,12/MWh, a média no dia ficou em R$ 349,71/MWh.
Apesar do valor mínimo nos demais submercados estarem equiparados em R$ 340,10/MWh a variação calculada ficou em diferentes patamares. No norte, com o máximo a R$ 360,18/MWh a diferença ficou em 5,9% e média de R$ 350,09/MWh, no nordeste o mais elevado, ficou em R$ 362/MWh levando a oscilação a 6,44%, média de R$ 350,96/MWh. Enquanto isso, no sul o valor médio foi o mais alto verificado, alcançando R$ 351,89/MWh devido ao CMO mais elástico no intraday, com R$ 363,87/MWh.
O ONS passou a aplicar o modelo Dessem a partir de 1o de janeiro deste ano para fins de operação apenas. No âmbito comercial o modelo passará a vigorar na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica em janeiro de 2021. Até lá continua a ser utilizado o PLD na base semanal por patamar de carga. Para esta semana operativa que se encerra na sexta-feira, 24 de janeiro, os valores continuam equacionados em todos os submercados do país à média de R$ 355,42/MWh, reflexo da carga pesada a R$ 362,03/MWh, a média a R$ 356,87/MWh e a leve a R$ 351,38/MWh. Nesta semana o valor médio subiu 32% ante a semana passada.