Carga afunda e ajuda a reduzir o CMO

Chuvas e reservatórios estão abaixo do esperado para esse período do ano

A expectativa de carga de energia elétrica para janeiro aponta para uma redução de 2,8% na comparação com igual mês de 2019. As previsões do Operador Nacional do Sistema (ONS), atualizadas nesta sexta-feira, 24 de janeiro, indicam que a carga do Sistema Interligado Nacional (SIN) deverá atingir 71.085 MW médios, ante uma expectativa de 72.606 MW médios apresentada na semana anterior.

Estima-se que o subsistema Sudeste atinja a carga de 40.946 MW médios, queda de 5,3% na mesma base de comparação, tornando-se o principal responsável por afundar a carga de energia do país em janeiro de 2020. A carga de energia é a soma do consumo elétrico no SIN com as perdas elétricas de transmissão.

 

As chuvas estão abaixo da média histórica para o mês de janeiro, apontando para energias naturais afluente de 73% no SE/CO, 44% no sul, 37% no NE e 61% no norte.

Por conta da falta de chuvas, os reservatórios ainda não apresentaram a recuperação esperada para essa época do ano. A expectativa é que o armazenamento máximo no sudeste, que concentra 70% das hidrelétricas, chegue a 23,9% no final de janeiro. Para os demais subsistemas espera-se alcançar 24,9% no sul, 40,8% no NE e 18,8% no norte.

Essa conjuntura permitiu que a média do Custo Marginal da Operação (CMO) fosse reduzida de R$ 349,15/MWh para R$ 318,05/MWh , queda de 8,91% para o período de 25 a 31 de janeiro.