Vestas registra lucro de 700 mi de euros em 2019

Resultado é 2,5% maior do que o reportado em 2018, empresa destacou o aumento do volume de pedidos , cuja carteira subiu para 17,9 GW

A dinamarquesa Vestas registrou lucro de 700 milhões de euros em 2019, um crescimento de 2,5% ante os 683 milhões de euros de 2018. O resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) antes de itens especiais apresentou aumento de 11% nessa mesma base de comparação, ficou em 1,55 bilhão de euros. Apesar disso a margem ebitda recuou um ponto porcentual, para 12,8%. A receita bruta ficou em 12,1 bilhões de euros e investimentos totais no valor de 729 milhões de euros.
Segundo o comunicado da empresa, esses resultados foram ao encontro das expectativas para o ano. Em comparação com 2018, houve um aumento de receita e ganhos e um menor fluxo de caixa livre. Foram recebidas mais ordens em 2019 do que em 2018, elevando a carteira de pedidos para 34 bilhões de euros. Os pedidos de turbinas eólicas cresceram em 3.663 MW, atingindo um total de 17.877 MW em 2019, na comparação com o ano anterior. Já o valor de pedidos de serviços cresceu em 3,5 bilhões de euros e fez o acumulado chegar a 17,8 bilhões de euros.
No ano, a empresa entregou 12,9 GW em turbinas, um aumento de 19% quando comparado ao consolidado no ano de 2018 que ficou em 10,8 GW.
Para 2020, a Vestas estima que a receita alcance um valor na faixa de 14 a 15 bilhões de euros, já incluindo a receita proveniente de serviços, que deve crescer em aproximadamente 7%. A expectativa é atingir uma margem bruta entre 7% a 9% sem considerar itens especiais, com uma margem bruta de cerca de 25% para serviços. Os investimentos totais para 2020 devem alcançar 700 milhões de euros.
Segundo a avaliação de Henrik Andersen, presidente e CEO do grupo, o ano passado foi classificado como extraordinariamente movimentado. A empresa atingiu suas metas em todos os parâmetros e dimensionou a organização para alcançar 34 bilhões de euros em pedidos, maior registro na história. A divisão de Serviços apresentou um crescimento anual e melhoria na lucratividade, reforçando sua importância estratégica em um mercado competitivo.
Por sua vez, Rogério Zampronha, presidente da companhia para a região sul da América Latina, 2019 foi um ótimo ano para a Vestas no Brasil, com destaque para a inauguração da fábrica em Aquiraz, no Ceará. A planta abre caminho para a expansão da plataforma 4 MW com a produção de naceles V150-4.2 MW. Em 2020, relatou ele, um dos focos será a entrega das ordens recebidas após a inauguração da unidade. Foram acumulados mais de 2,6 GW em pedidos de V150-4.2M.