Angra 1 é reconectada ao SIN após parada de 34 dias

Usina foi deligada em 11 de janeiro para reabastecimento de um terço do combustível, finalizando o processo com três dias de antecedência

A central nuclear de Angra 1 foi reconectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) na última sexta-feira (14), às 10:02 horas, três dias de antecedência em relação ao que foi acordado com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A unidade estava parada por conta do reabastecimento de combustível e deve atingir 100% de sua elevação de potência nessa segunda-feira, 17 de fevereiro, informou a Eletronuclear.

A usina foi desligada em 11 de janeiro para a troca de um terço do combustível. Também foram realizadas atividades de inspeção e manutenção periódicas, além de modificações de projeto, que precisam ser feitas com a usina desligada. No total, foram executadas quase 4,7 mil tarefas durante a parada.

Entre os destaques estão melhorias técnicas e testes nos transformadores principais de 500 kV para aumento de confiabilidade, revisão geral da chave de conexão da usina ao SIN, revisão dos selos de uma das bombas de refrigeração do reator, inspeção visual remota da tampa do reator, teste nos geradores de vapor e inspeções ligadas ao programa de extensão de vida útil de Angra 1.

O superintendente de Angra 1, Abelardo Vieira, ressalta que todos os objetivos foram cumpridos com sucesso, principalmente em relação à segurança industrial, salientando também que a duração da parada foi inferior aos 37 dias programados junto ao ONS. “A competência e a dedicação dos nossos profissionais foram primordiais para atingir as metas estabelecidas, desde as fases de planejamento e preparação até as de execução e supervisão. É importante destacar que todas as diretorias da empresa foram essenciais para o êxito da parada”, conclui.