EDP Brasil tem lucro de R$ 1,3 bi em 2019

Resultado é 5% mais elevado do que em 2019 e representa o maior nível alcançado pela companhia em 24 anos de atuação no Brasil

A EDP Brasil reportou um lucro líquido de R$ 1,34 bilhão em 2019, o mais elevado resultado da empresa desde que começou a atuar no país, ainda na década de 1990. O aumento ficou em 5,1% em comparação com 2018. Contudo, no ano passado os ganhos que ficaram em R$ 1,27 bilhão continham efeitos não recorrentes da venda de duas PCHs para a Statkraft. O resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 2,3 bilhões, aumento de 8% quando comparado ao resultado do exercício anterior.
Considerando apenas o quarto trimestre a empresa apresentou lucro ajustado de R$ 315,9 milhões, aumento de 25,5% no período e o ebitda ajustado de R$ 603,9 milhões, crescimento de 34,3%.
De acordo com a empresa, o resultado decorre de melhorias operacionais no segmento de distribuição, com destaque para as revisões tarifárias. Mas ressaltou ainda a gestão integrada das geradoras com a comercializadora para mitigar o risco energético e da implantação do novo segmento de transmissão, o único do grupo EDP no mundo.
Nas distribuidoras do grupo seu mercado fechou 2019 com crescimento de 2,3%. A empresa controla duas concessionárias, no Espírito Santo e em São Paulo, o aumento médio com a revisão um aumento médio de 36% na remuneração das empresas. No ano, a receita da distribuição somou R$ 7,6 bilhões aumento de 9,6%. Outro destaque é o aumento da participação na Celesc, hoje a EDP possui 25,35% da distribuidora catarinense, a principal acionista privada da companhia que atua em quase todo o estado de Santa Catarina.
A empresa destacou ainda que conseguiu mitigar a totalidade do risco energético em 2019, um fator inédito na companhia ao ter cerca de 20% da energia descontratada.
O investimento total da EDP em 2019 somou R$ 2,8 bilhões, com destaque para o segmento de transmissão, que recebeu R$ 1,9 bilhão ao longo dos 12 meses. Com isso, a dívida líquida da empresa fechou o ano em R$ 5,6 bilhões, aumento de 26,4% na comparação com o fechamento de 2018. A alavancagem da companhia fechou em 1,9 vez a relação entre a dívida líquida e o resultado ebitda.