Petrobras confirma entrada no A-4 de abril

Empresa quer agrupar usinas resultantes do leilão em subsidiária que entrará no plano de desinvestimento

A Petrobras confirmou que vai participar do próximo leilão A-4 que será realizado em abril deste ano. Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira, 20 de fevereiro, a diretora de Refino e Gás Natural, Anelise Lara, revelou que a empresa tem 13 usinas termelétricas cadastradas no certame. De acordo com ela, a estratégia é ter algumas dessas térmicas contratadas por 15 anos para que elas sejam agrupadas em uma subsidiária de energia que será inserida no plano de desinvestimentos da empresa. O plano de venda dessa subsidiária ainda não está definido. “Nossa estratégia é competir no leilão de abril e ter a garantia de contratos firmes em algumas dessas térmicas”, diz a diretora, que lembrou que a demanda do leilão ainda não foi divulgada.

Em agosto do ano passado, a diretora já havia revelado que do seu parque térmico de 26 usinas, havia a intenção de vender cerca de 15 usinas. A Petrobras é o maior operador térmico do país, com cerca de 6.000 MW. A empresa fechou o ano de 2019 como maior lucro da história, de R$ 40,1 bilhões.

O leilão A-4 promete ter uma forte disputa. Essa semana, a Neoenergia, também anunciou que deve participar do leilão A-4 com a sua Termopernambuco. A usina de 532 MW encerra seu contrato em 2024. Projetos greenfield também devem participar do certame, o que eleva mais ainda a sua competitividade.