ONS: previsão de chuvas aumenta no SE/CO

Revisão do PMO aponta que vazões no maior submercado serão mais elevadas que a MLT enquanto a carga recuará 1,2%

Seca no Sul e chuva pouco acima da média histórica no Sudeste/Centro-Oeste, é assim que o Operador Nacional do Sistema Elétrico projeta a última semana operativa de fevereiro no país. A estimativa divulgada nesta sexta-feira, 21, para o período entre 22 e 28 de fevereiro é de que o maior submercado encerre o mês com energia natural afluente de 103% da média de longo termo, aumento de 2 pontos porcentuais ante o esperado sete dias atrás. Já no Sul a previsão recuou de 31% para 29% da MLT. Enquanto isso, no Nordeste a expectativa é de encerrar o período com 81% da média e no Norte em 78% da média histórica.
Já em termos de carga a previsão é de recuo no consumo de energia, a atualização que consta da revisão 3 do Programa Mensal de Operação é de queda de 0,4% quando comparado ao mesmo mês do ano passado. Se essa previsão se confirmar a demanda será de 71.648 MW médios, reflexo da queda projetada e 1,2% no SE/CO e de 2,8% no NE. Já no sul é esperado crescimento de 2,1% e de 0,2% no norte.
Com isso, a previsão é de que os reservatórios no maior submercado do país fechem o mês em 39,2%, uma aceleração do replecionamento do nível de armazenamento ante o que se esperava semana passada. No sentido contrário houve uma desaceleração no NE que poderá encerrar a semana em 60,7%, o mais elevado do país, no Norte está projetado 46,9% e no Sul a pior situação com a perspectiva de encerrar o mês com apenas 18,7%.
Como consequência, o custo marginal de operação está descolado em todos os submercados. O mais elevado é o Sul com R$ 180,61/MWh, no SE/CO está em R$ 140,51/MWh e no NE e Norte os valores estão abaixo de R$ 17/MWh.
Segundo o ONS, estão programados 6.410 MW médios de despacho térmico para a semana. A maior parte por inflexibilidade com 4.559 MW médios, 1.184 MW médios por ordem de mérito e mais 666 MW médios por restrição elétrica.