Eneva pede suspensão de etapa do processo de oferta de debêntures

Ação foi motivada pela proposta de união de ativos com a AES Tietê, mas empresa deverá divulgar novo cronograma para a captação em 10 dias

A Eneva pediu à Comissão de Valores Mobiliários a suspensão de uma das etapas do processo de emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em duas séries, que somariam até R$ 600 milhões. Em comunicado a empresa informou ter pedido a desconsideração do protocolo dos documentos da oferta datado de 27 de fevereiro e contendo o resultado do procedimento de coleta de intenções de investimentos. Essa ação foi motivada pela divulgação de fato relevante informando a realização de uma proposta vinculante de combinação de negócios entre a empresa e a AES Tietê Energia, divulgada no início desta semana.
A Eneva e os bancos coordenadores da oferta estão reavaliando o cronograma do processo de oferta dos papeis e pretendem realizar novo protocolo dos documentos da oferta perante a CVM em até dez dias, os quais serão ajustados para refletir os termos e condições, especialmente as alterações decorrentes da Operação Pretendida e das Informações sobre a Operação Pretendida que estiverem à época do Novo Protocolo disponíveis, bem como o novo cronograma para a operação.
Aos investidores que já tenham aderido à oferta será concedido prazo para desistência da sua intenção de investimento de acordo com o artigo 27 da Instrução CVM 400. O prazo será informado posteriormente pela empresa e os coordenadores.

(Nota da Redação: Matéria alterada às 18:10 horas do dia 06 de março de 2020 para revisão do título e do primeiro parágrafo para representar melhor a medida tomada pela empresa)