AES Tietê contratará assessoria para avaliar proposta da Eneva

Semana passada a geradora iniciou ofensiva em busca da combinação de ativos com a operação local da americana AES

A AES Tietê contratará assessores financeiros e legais para auxiliá-lo na análise da oferta hostil (quando não é solicitada) de combinação de ativos que a Eneva apresentou na semana passada. A deliberação, informou a empresa em comunicado ao mercado publicado no último domingo, 8 de março, será avaliada em reunião extraordinária do conselho de administração, cuja convocação é para o próximo dia 13 de março.
Esse comunicado foi apresentado no mesmo dia em que a Eneva publicou uma nova carta enviada à geradora alvo de sua investida, reafirmando sua disposição em prosseguir com o negócio. A ofertante destacou que está disponível para engajar em tratativas, e reitera o convite de reunião para apresentação e discussão da proposta de combinação de negócios entre ambas as companhias.

Segundo a correspondência, a Eneva “reitera também sua convicção de que a Combinação de Negócios é uma oportunidade única de geração de valor para as companhias, seus acionistas, clientes, empregados e demais stakeholders, e que entende que essa visão foi corroborada com grande ênfase pelos atuais acionistas da Companhia e da AES Tietê, cujas ações tiveram alta na cotação em bolsa de 8,4% e 23,6%, respectivamente, no dia do anúncio da Combinação de Negócios, e acumulam valorização de 3,6% e 16,0%, respectivamente, desde então”, afirma o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Eneva, Marcelo Habibe.

A Eneva propôs a união de ativos entre as duas companhias uma semana atrás. Conforme divulgado, a operação compreende uma relação de troca de 0,0461 ações ordinárias de emissão da Eneva para cada ação ordinária ou preferencial de emissão da AES Tietê ou de 0,2305 por UNIT, mais uma parcela em dinheiro total de R$ 2.750.641.308,80, equivalente a R$1,38 por cada ação ordinária ou preferencial ou R$ 6,89 por UNIT. A validade da proposta é de 60 dias