Eletrobras encerra SPE da Subestação Olímpica

Empreendimento construído por Furnas e Light para atender Olimpíadas de 2016 continuará sendo operado pela concessionária do RJ

A Eletrobras informou por meio de comunicado ao mercado na última quarta-feira, 11 de março, que encerrou a Sociedade de Propósito Específico Energia Olímpica, sociedade com participação de Furnas, com 49,9% e da Light 50,1%, que foi responsável pela construção de subestação dedicada exclusivamente ao fornecimento de energia elétrica para o Parque Olímpico construído na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A medida estaria em linha com iniciativas vinculadas ao Plano Diretor de Negócios e Gestão da estatal.

De acordo com a Eletrobras, a SE não foi desativada e continua sendo operada pela Light. A SPE Energia Olímpica S.A. foi contratada em 2014 pelo Ministério de Minas e Energia com o objetivo exclusivo de construir a subestação Olímpica e as linhas de 138 kV entre as subestações Barra da Tijuca – Olímpica e Gardênia – Olímpica destinadas ao suprimento de energia elétrica do Parque Olímpico para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. Ainda segundo a Eletrobras, os recursos da obra foram custeados pelo MME. Após o término da obra, foi feita a transferência de todos os termos de garantia dos fornecedores para a Light, que passou a ser o operador das instalações em sua área de concessão. Não houve pagamento da Light à Eletrobras, pois a SPE foi paga pelo MME para construir o empreendimento e, em seguida, os ativos seriam operados pela Light, por se localizarem na sua área de concessão.