Consumo consolidado da Energisa cresce 4,3% em fevereiro

Classe residencial teve aumento de 6,5% no período

O consumo consolidado de energia nas concessionárias do Grupo Energisa teve um aumento de 4,3% em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, registrando 3.120,9 GWh. O fornecimento não faturado, que ficou em 3.087,1 GWh no mês, mostrou um crescimento de 5,3%, sendo influenciado pelos consumidores das classes residencial, comercial e rural.

De acordo com a Energisa, a classe residencial teve aumento de 6,5% no consumo, puxado pelas concessionárias de Mato Grosso, Paraíba,  Rondônia, Acre, Sergipe e Tocantins, que cresceram 9,3%, 9,7%, 12,2%, 23,3%, 8,2% e 7,6%, respectivamente. Nessas distribuidoras, os impactos climáticos foram determinantes para o aumento, com as distribuidoras do Norte também beneficiadas pelo calendário. Na classe rural, o salto de 5,7% teve como protagonistas a Energisa Mato Grosso, com aumento de 8,4% e a Energisa Paraíba, que cresceu 33,6%, impulsionada pelo aumento de irrigação nas lavouras de cana de açúcar.

A classe comercial avançou 2,4%, devido ao consumo nas Energisas Rondônia (12,3%), Mato Grosso (3,6%), Paraíba (6,9%) e Acre (16,2%). Na classe industrial, houve uma leve subida de  0,6%  com destaque para Mato Grosso, com 7,9% e Mato Grosso do Sul com 4,4%, se destacaram nesse segmento.

O consumo nos mercado cativo e livre do Grupo Energisa teve recuperação no segundo mês de 2020, terminando o primeiro bimestre desse ano com aumento de 1,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Considerando o fornecimento não faturado, o volume passa para 6.106,9 GWh, o que significa um aumento de 2,4% em relação ao mesmo bimestre do ano anterior. O destaque ficou com o consumo no mercado cativo e livre nas regiões Centro-Oeste, com aumento de 4,8% na região Norte