Energisa cria movimento de combate à Covid-19 com R$ 5 mi em recursos

Grupo mobiliza parcerias para desenvolver ações articuladas com poder público das 11 concessões onde atua, como doação e manutenção de ventiladores pulmonares, soluções e obras elétricas em equipamentos de saúde

Para ajudar no combate à pandemia de Covid-19, o Grupo Energisa anunciou a criação do movimento Energia do Bem, uma rede de atuação orgânica que já reúne 13 parceiros, todos empenhados em viabilizar ações emergenciais que ajudem a superar a crise humanitária provocada pela enfermidade. As iniciativas incluem doação e manutenção de ventiladores pulmonares, obras elétricas em unidades públicas de saúde e na captação de recursos para assistência a idosos. Também foi criado o portal Energia do Bem, com informações confiáveis sobre a doença e conteúdo para reduzir os impactos do isolamento social.

“Essa crise é diferente de tudo o que já vivemos e não podíamos ficar alheios. Estamos nos unindo a diversos parceiros para fazer diferença especialmente nos 11 estados em que atuamos como distribuidores de energia. Queremos que o programa gere uma onda de energia positiva que ajude a atravessarmos esse momento”, explicou o presidente da empresa, Ricardo Botelho.

Segundo ele, a Energisa investirá R$ 5 milhões no movimento, com os recursos sendo aplicados nos 11 estados de atuação da empresa, em diversas frentes mapeadas. Uma primeira iniciativa já foi feita por meio de uma doação de 11 ventiladores pulmonares para Unidades de Tratamento Intensivo de Minas Gerais e Sergipe, e uma nova leva de doação de aparelhos também já está em curso para outras localidades. Além disso, no Acre, seis aspiradores portáteis já foram disponibilizados ao Hospital da Criança para pacientes com baixa imunidade seguirem em tratamento em casa, liberando leitos para pacientes infectados com o novo coronavírus.

O movimento também está montando uma operação logística para que equipamentos desse tipo que se encontram quebrados, essenciais nos casos mais graves da doença, possam ser consertados nas oficinas do Senai.  “Já mapeamos 448 ventiladores que precisam de conserto em Minas, Sergipe, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Estamos levantando as necessidades em outros estados para levar para os centros de manutenção do Senai. Queremos ações orgânicas e dinâmicas, mas articuladas com as necessidades do poder público em cada localidade”, afirma a Vice-Presidente de Gente e Gestão do Grupo Energisa, Daniele Salomão.

Soluções e obras elétricas

Na área técnica, as obras na rede elétrica para garantir e ampliar a capacidade de atendimento de hospitais foram colocadas em um sistema de fast track. Em Jaci-Paraná, localidade que fica a 100 km de Porto Velho (RO), uma UPA foi ligada à rede elétrica em quatro dias. O projeto também prevê o uso de parte da verba de publicidade para divulgar dicas de saúde e prevenção do contágio.

Nos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), parte dessa comunicação será feita por carros de som. “A ideia é aproveitar a nossa capilaridade no interior do Brasil para combater a pandemia. Atendemos a 20 milhões de pessoas e faremos o que for possível para que as mensagens importantes cheguem a todos eles. É um ativo muito importante nesse momento”, complementa Botelho.

Empresa quer aproveitar capilaridade no interior do país para levar informação e dicas de saúde (foto:Agência CNI)

Ajuda aos idosos

A companhia também anunciou que abrirá nos próximos dias uma campanha de voluntariado com financiamento coletivo para auxiliar instituições de atendimento aos idosos. Para cada 1 real doado pelos colaboradores, a empresa doará mais 1 real, até R$ 500 mil. Cada unidade de negócio selecionará as entidades que desejam apoiar nos 11 estados.

“Nesse momento, as ações precisam de muito mais escala para chegar a quem precisa. Esse modelo de arrecadação de recursos, que une colaboradores, clientes e a empresa, também já é uma prática em algumas das nossas distribuidoras. O que estamos fazendo é disseminar a iniciativa para todas as unidades do Grupo”, comenta Daniele Salomão.

Informação e conhecimento

Outro mote do Energia do Bem é um portal que concentrará informações de utilidade pública sobre a prevenção contra a contaminação pelo vírus e o andamento das ações realizadas. A Unesco também fez uma curadoria dos conteúdos de sua Biblioteca Digital, de domínio público, que terão links diretos por meio do portal, que será como uma janela para os materiais sugeridos pela organização. “Vamos destacar algumas coleções sobre educação midiática, um tema prioritário no momento em que as pessoas são confrontadas com informações de todos os lados, nem sempre confiáveis”, pontua Daniele.

O Instituto Efort, parceiro da Energisa em ações de eficiência Energética, também está desenvolvendo jogos educativos sobre a Covid-19, e que entrarão na plataforma junto com outros que já são utilizados no programa Nossa Energia.  Já o Polo Audiovisual da Zona da Mata, outro parceiro, vai usar a plataforma Samba Tech para levar seus filmes às casas das pessoas durante o isolamento social.

A educação também será contemplada, através de uma cooperação entre a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Senai, que estão disponibilizando 100 mil vagas em cursos de educação à distância voltados a competências técnicas transversais e à indústria 4.0, como Empreendedorismo, Educação Ambiental, Inteligência Artificial, entre outros.

Grande parte do seu material didático, incluindo a Estante Virtual de Livros Didáticos, que soma 1.150 volumes, está com acesso liberado. Já o Sesi disponibilizou mais de 17 mil objetos educacionais no Portal Sesi Educação. O Instituto Euvaldo Lodi (IEL), por sua vez, tem disponíveis cursos de curta duração nas áreas de gestão, liderança, Lean Office e gestão de projetos, por exemplo.