6 ms: parece Fórmula 1, mas estamos falando de confiabilidade em sistema elétrico

Um disjuntor de média-tensão a vácuo é a solução mais econômica para aumentar a confiabilidade e reduzir custos de manutenção em uma rede

O circuito de Silverstone, na Inglaterra, é um dos mais tradicionais da temporada de Fórmula 1. Na disputa pela pole position, em 2019, o finlandês Valteri Bottas superou o companheiro de equipe, Lewis Hamilton, por apenas seis milésimos de segundo. Essa minúscula fração de tempo é o mesmo intervalo necessário para que o disjuntor de média-tensão a vácuo Fusesaver atue em uma eventual falha na rede elétrica.

Desenvolvido originalmente na Austrália, como parte de um extenso investimento local no combate a incêndios florestais causados por queima de fusíveis, o Fusesaver tem se mostrado como um valioso instrumento de proteção de linhas de média-tensão em diferentes regiões do mundo, como Estados Unidos e Brasil.

Particularmente, as áreas rurais representam grandes desafios para empresas concessionárias de energia. Em geral, as linhas rurais são protegidas por fusíveis e, quando um deles é queimado devido a uma falha na linha, a retomada do fornecimento de energia depende da substituição desse fusível.

Esse processo significa tempo e dinheiro, não apenas pelo custo envolvido na manutenção, mas também porque interrupções no fornecimento podem acarretar em multas para as concessionárias, empenhadas em cumprir os requisitos de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC).

Como explica o engenheiro Edson Catutani, da área de Sistemas de Distribuição da Siemens, 80% de todas as falhas de linhas são temporárias. “Isso significa que, nesses casos, o fusível atua queimando o elo fusível e a equipe de manutenção gasta muito tempo detectando a falha, localizando e substituindo o fusível, enquanto os usuários permanecem sem energia durante um período que pode durar algumas horas”, acrescenta Catutani.

Como funciona

O Fusesaver, de tamanho compacto e peso leve, é um dispositivo que permite instalação rápida e fácil e agilidade no comissionamento. No caso de uma falha, o Fusesaver atua em cerca de 6 milésimos de segundos, o que equivale a aproximadamente meio ciclo. Graças a essa ação extremamente rápida, é capaz de eliminar a maioria das quedas de energia iniciadas por ventos fortes, animais e galhos, além de salvar o fusível. Depois de um certo período pré-determinado, esse disjuntor a vácuo fecha e reenergiza todos os clientes afetados por essa falha isolada, enquanto os demais consumidores da linha-tronco e de outras derivações não são afetados.

Nos casos de falhas permanentes, a atuação do Fusesaver pode ser coordenada com o fusível, limitando o número de clientes atingidos. Assim que a falha é detectada e isolada, o Fusesaver reenergiza o trecho e, se ela persistir, ele mesmo pode forçar o fusível a atual e criar um isolamento do defeito. “Desta forma, o Fusesaver restringe a queima dos fusíveis da fase afetada e permanece atuado em casos de falhas permanentes”, acrescenta Catutani.

Outro benefício do sistema é poder atuar também de forma autônoma em falhas permanentes, ou seja, após o primeiro ciclo de religamento. Caso a falha persista, o Fusesaver pode atuar, mantendo a linha desenergizada e dispensando o uso de um fusível parceiro.

A implementação do Fusesaver é facilitada pelo sistema de componentes que permite a instalação, a comunicação e o comissionamento. Em uma única unidade autoalimentada, o Fusesaver é capaz de oferecer um retorno de investimento em menos de dois anos. Isso acontece pela melhoria da rede, aumento de confiabilidade, redução de custos operacionais e facilidade de instalação. Adicionalmente, outro benefício do Fusesaver é não requerer nenhuma necessidade de mudança no sistema de proteção da linha.

Outra vantagem do Fusesaver é seu sistema inteligente, que fornece conectividade sem fio para acesso remoto. “Além disso, ele pode ser facilmente integrado a uma rede de automação, como o sistema SCADA. Diante de uma tendência crescente de sistemas de Smart Grids, a incorporação do Fusesaver é um passo em direção à rede elétrica do futuro”, completa o engenheiro.

Já bastante utilizada por concessionárias brasileiras nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, a tecnologia Fusesaver pode ser incorporada a redes existentes também como instrumento de otimização da manutenção. Com a chave portátil seccionadora Fusesaver, o concessionário é capaz de isolar trechos e ramais de sua rede de distribuição para manutenção e reparos sem a necessidade de desligar redes mais abrangentes de fornecimento. Seja na ocorrência de falhas ou no processo de manutenção programada, o Fusesaver é uma alternativa eficiente e de baixo custo para aumentar a disponibilidade das redes de média-tensão.

(Nota da Redação: Conteúdo patrocinado produzido pela empresa)