Solar Edge tem lucro 122% mais elevado no primeiro trimestre

Estimativa para o segundo trimestre é de redução de pelo menos 22,5% na receita total por conta dos impactos da covid-19

A Solar Edge reportou lucro líquido de US$ 42,2 milhões no método contábil conhecido como GAAP, no primeiro trimestre de 2020, aumento de 122% em relação aos US$ 19 milhões no mesmo trimestre do ano passado. A margem bruta GAAP ficou em 32,5% sendo que a linha que aponta a margem da venda de produtos solares ficou levemente maior, com 34,6%, apesar disso, menor do que o reportado 12 meses atrás, quando ficou em 37,3%.
A receita, destacou a empresa, foi recorde, alcançou US$ 431,2 milhões de janeiro a março, aumento de 3% na comparação com o mesmo período do ano passado. Já a receita relacionada ao negócio de energia solar foi de US$ 407,6 milhões, um aumento de 5% em relação aos US$ 389 milhões no trimestre anterior e de 61% em relação aos US$ 253,1 milhões no mesmo trimestre do ano passado.
A companhia encerrou o trimestre com o envio de inversores que somam 1,85 GW AC. E avalia que as perspectivas para o segundo trimestre de 2020 com o impacto crescente e as respostas à pandemia de covid-19 em todo o mundo, incluindo todos os mercados em que atua, é sem precedentes e dificulta prever o impacto nos negócios. Essa incerteza, diz o comunicado, deverá estender por todo o ano.
Por isso, a empresa estima que para o segundo trimestre as receitas deverão ficar em uma faixa entre US$ 305 milhões e US$ 335 milhões, retração de, no mínimo 22,5% ante o trimestre anterior. A margem bruta estimada está entre 30% e 32% e a receita de produtos solares na faixa de US$ 285 milhões a US$ 315 milhões.