MME classifica projetos de transmissão como prioritários no Acre e Bahia

Empreendimentos também foram enquadrados junto ao Reidi e referem-se aos lotes 9 e 11 do leilão no ano passado, somando R$ 787 milhões em recursos para 778 quilômetros de linhas e uma subestação em cada estado

O Ministério de Minas e Energia aprovou como prioritário o projeto para implementação de 673 quilômetros em linhas de transmissão no Acre, entre os municípios de Sena Madureira, Cruzeiro do Sul, Feijó, Manoel Urbano, Bujari, Tarauacá e a capital Rio Branco. A iniciativa refere-se ao Lote 11 do Leilão nº 02/2019, vencido pela Transmissora Acre, controlada pelos investidores Zopone Engenharia e Comércio e Sollo Participações.

O período de execução para as obras das LTs Rio Branco I/Feijó, Feijó/Cruzeiro do Sul e da subestação Feijó em 230 kV e 69 kV, iniciou em março deste ano e vai até 2025, com os empreendimentos angariando R$ 580,4 milhões em investimentos livre dos encargos PIS/PASEP e Confins, já que foram também enquadrados junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi) do governo, o que representou isenção de R$ 55,6 milhões.

O projeto do Lote 9 do mesmo certame também foi classificado pelo MME como prioritário e junto ao Reidi, compreendendo a construção de 105 quilômetros de circuito duplo na linha Rio das Éguas – Rio Formoso II e da subestação Rio Formoso II, com 400 MVA, além de um pátio novo para a SE Rio das Éguas. A exploração dos ativos pertence à Neoenergia, que deve concluir os trabalhos nos municípios baianos de Correntina e Jaborandi até março de 2024, por meio de um aporte de R$ 206,5 milhões livre das taxas, que totalizam R$ 17,5 milhões.

Outros dois empreendimentos do leilão de 2019 foram enquadrados ao Reidi. O lote 12, vencido pela empresa KF/JAP BA Transmissora de Energia do Brasil, contempla a implantação de 193 quilômetros do primeiro circuito da LT Poções III – Itapebi, perpassando as regiões de Caatiba, Iguaí, Itambé, Itapebi, Itapetinga, Itarantim, Itororó, Nova Canaã, Planalto, Poções e Potiraguá, todas na Bahia. O projeto deve ser finalizado em 2025 e irá requerer aproximadamente R$ 181,1 milhões em recursos sem os encargos.

Por fim a Dom Pedro II Transmissora recebeu o provimento da pasta para a instalação da subestação Crato II, em 230 kV e 69 kV e 300 MVA, além de outras obras de conexões e trechos de linha entre os municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Milagres, ambos no Ceará. A conclusão está prevista para março de 2024, com investimentos planificados em R$ 88,2 milhões.