Pedidos de contas por e-mail na CPFL crescem 37%

Número já chega a 3 milhões. Medidas para distribuidoras garante liquidez do setor, diz executivo

Em teleconferência com investidores realizada nesta sexta-feira, 15 de maio, o CEO da CPFL Energia, Gustavo Estrella, revelou que houve um aumento de 37% nos pedidos de contas por e-mail. Segundo ele, são três milhões em um universo de nove milhões. “A ideia de fato é que a gente estimule o uso de canais digitais, de modo a dar um atendimento mais célere ao nosso cliente e um serviço melhor”, afirma. A CPFL também tem incentivado o uso de outros pagamentos de forma digital, passando a aceitar cartão de crédito.

O executivo classificou o decreto presidencial que vai formalizar o auxílio para as distribuidoras como uma medida para preservar a liquidez do setor, afetada pela pandemia do Covid-19. “A ideia é antecipar despesas que já seriam repassadas no reajuste tarifário do ano que vem. Tem uma função de preservar da liquidez das distribuidoras e ao mesmo tempo suaviza os repasses nos reajuste tarifários futuros”, avisa. Para ele, que também pede urgência na aprovação do mecanismo, a falta de liquidez pede uma resposta rápida e de curto prazo. Estrella também espera que a sobrecontratação seja abordada já no decreto.

Para ele, o empréstimo será a primeira de outras medidas que virão por conta dessa crise, embora ele considere o equilíbrio econômico financeiro das distribuidoras mais importante. “É difícil prever o que vai ser, mas o prognóstico não é positivo”, observa. As perdas de energia, que estão estáveis e controladas na CPFL no momento, deverão ser objeto de atenção. A empresa prepara um plano para o tema.