Energia eólica somou expansão de 63 GW em 2019, indica GWEC

Estimativa antes da covid-19 era de uma expansão recorde de mais de 70 GW mas agora números precisarão ser revisados

A energia eólica viu sua capacidade aumentar globalmente em 63 GW no ano passado, foram 22.893 novas turbinas instaladas no mundo, resultado da produção de 33 fabricantes. Esse dado foi divulgado pelo Conselho Global de Energia Eólica (GWEC, na sigla em inglês), que publicou o relatório anual Supply Side Analysis 2019 em sua plataforma de inteligência de mercado.
De acordo com a entidade que é uma das copromotoras do Brazil Windpower, maior evento do setor na América Latina, esse é o novo recorde do lado da oferta em termos de capacidade para a indústria.
A dinamarquesa Vestas continua mantendo seu lugar como principal fornecedor em 2019, respondendo por 18% de todas as turbinas eólicas instaladas em 2019. Um dos motivos, analisa o GWEC, é por conta da estratégia de diversificação global com instalações em mais de 40 países. A Siemens Gamesa subiu uma posição e agora ocupa o segundo lugar, tendo dobrado sua instalação eólica offshore em 2019 e expandindo sua cobertura geográfica. A chinesa Goldwind caiu uma posição para o terceiro lugar, apesar de a empresa aumentar suas instalações anuais em 19% em 2019 em decorrência de um acelerado ritmo de instalação em seu mercado doméstico.
O relatório completo está disponível exclusivamente para membros do GWEC e assinantes da área de Inteligência de Mercado da entidade. O relatório final inclui mais de 30 tabelas e figuras que mostram a evolução dos mercados globais de energia eólica da perspectiva do lado da oferta.
Segundo a publicação, a tendência ascendente do tamanho das turbinas eólicas continua, com uma capacidade nominal para equipamentos novos na média de 2019 ultrapassando 2.750 kW, um aumento de 72% ou 1.156 kW em relação a 2009.
Outra característica do mercado é da continuidade do processo de consolidação do mercado global de fornecedores de turbinas. O número de fornecedores diminuiu de 37 em 2018 para 33 no ano passado. Ao mesmo tempo, os seis principais fabricantes aumentaram coletivamente sua participação no mercado de 70% em 2018 para 72% em 2019. Dos quinze primeiros do ranking em 2019, dez também atuam no mercado offshore e foram responsáveis pela instalação de 99,9% dos 6,1 GW de capacidade em 2019.
O ano passado também foi a primeira vez que um fornecedor eólico puramente offshore, a MHI Vestas, que rompeu a marca e entrou entre os quinze primeiros do mundo. Esse dado, avalia o GWEC, demonstra o papel cada vez mais importante que a indústria offshore está desempenhando para impulsionar o crescimento da energia eólica.
A expectativa do GWEC no médio prazo é de que mais de 355 GW sejam implantados globalmente até 2024, com algo próximo a 71 GW. Contudo, avalia que a perspectiva deste ano, que estava em 76,1 GW deverá ser revista por conta do impacto da covid-19 globalmente.
Ranking dos 15 maiores fabricantes de turbinas eólicas em 2019 e sua participação de mercado:
1- Vestas – 18,0%
2- Siemens Gamesa Renewable Energy – 15,7%
3- Goldwind – 13,2 %
4- GE Renewable Energy – 11,6%
5- ENVISION – 8,6%
6- Mingyang – 5,7%
7- Nordex Acciona – 4,9%
8- Enercon – 3,0%
9- Windey – 2,5%
10- Dongfang – 2,1%
11- Sewind – 2,0%
12- CSIC Haizhuang – 1,8%
13- Senvion – 1,7%
14- United Power – 1,7%
15- MHI Vestas – 1,6%
Outros – 5,9%
Eólica onshore – 10 maiores fabricantes
1- Vestas  – 20,1%
2- Goldwind – 13,61%
3- Siemens Gamesa Renewable Energy  – 12,97%
4- GE Renewable Energy – 12,45%
5- Envision  – 8,55%
6- Mingyang  – 5,55%
7- Nordex Acciona – 5,47%
8- Enercon – 3,34%
9- Windey – 2,82%
10- Dongfang – 2,35%
Eólica offshore – 10 maiores fabricantes
1- Siemens Gamesa Renewable Energy – 39,77%
2- MHI Vestas – 15,7%
3- Sewind – 10,81%
4- Goldwind – 9,37%
5- Envision – 8,75%
6- Mingyang – 7,29%
7- GE Renewable Energy – 4,28%
8- CSIC Haizhuang – 2,33%
9- Senvion – 1,57%
10- XEMC – 0,12%