Previsão de carga aumenta para crescimento de 0,5% em julho

Previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico tem no submercado Sudeste o maior impulso com aumento de 1,8% na comparação com mesmo mês de 2019

A projeção de demanda por energia parece estar dando sinais de recuperação. Pelo menos a perspectiva para o mês de julho voltou a aumentar, segundo os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico. A previsão divulgada para julho é de aumento de 0,5%. Na semana passada a previsão já estava no campo positivo, mas ainda era de 0,1%. Se a nova expetativa se confirmar, representará uma carga de 63.416 MW médios em julho.
De acordo com a atualização semanal do Programa Mensal de Operação divulgado nesta sexta-feira, 17 de julho, é esperado crescimento em quase todo o país. A exceção está no Sul com queda de 3,5%. No Sudeste/Centro Oeste a previsão é de expansão da carga em 1,8%, no Nordeste de 0,1% e no Norte está em 1,2%.
Em relação às vazões, os valores projetados não mudaram significativamente ante a semana passada. No maior submercado do país a previsão é de que a energia natural afluente fique em 81% da média de longo termo, mesmo índice de sete dias atrás. No Sul recuou mas ainda está acima da média com 134%, no Nordeste mantém os 69% da MLT e no Norte recuou 4 pontos porcentuais, para 97% da média histórica.
Com isso, a estimativa é de que os reservatórios encerrem o mês com pelo menos 49,1%, o cenário esperado para o SE/CO. O maior volume estimado é do Norte com 83,2%, 78,2% no Nordeste e no Sul houve uma rápida recuperação com expectativa de encerrar julho com 54,5% do volume armazenável.
O custo marginal de operação médio segue a curva da semana anterior com a equalização dos valores à exceção do NE, onde está em R$ 72,06/MWh, onde a carga pesada está em R$ 73,70/ a média em R$ 71,92/MWh e a leve a R$ 70,82/MWh. Nos demais, a média é de R$ 88,05/MWh com a pesada a R$ 88,96/MWh, a média a R$ 88,76/MWh e a leve a R$ 87,01/MWh.
A previsão de despacho térmico para a semana operativa que se inicia neste sábado, 18 de julho, é estimada em 3.801 MW médios, levemente mais alta do que nesta semana por conta do aumento do volume classificado por inflexibilidade. Neste grupo serão 2.989 MW médios, 475 MW médios por ordem de mérito e outros 337 MW médios por restrição elétrica.