Neoenergia usa realidade virtual para concluir obra em meio a pandemia

Foram entregues a Subestação Biguaçu, em Santa Catarina e uma linha de 147 km em 230 kV entre as subestações de Nova Porto Primavera (SP) e Rio Brilhante (MS)

A Neoenergia concluiu antes do prazo regulamentar mais obras de transmissão de elétrica. Foram entregues a Subestação Biguaçu, em Santa Catarina e uma linha de 147 km em 230 kV entre as subestações de Nova Porto Primavera (SP) e Rio Brilhante (MS). O comissionamento envolveu o uso de realidade virtual, conectando equipes do Brasil e da Suécia.

A subestação Biguaçu, em 525 kV, no município de mesmo nome, fez parte do lote 22 do leilão nº 005/2016, que incluiu, além ampliação do empreendimento, a implantação de um Compensador Estático de Reativos (-100/+300 MVAR), uma tecnologia para, entre outras funcionalidades, regular a tensão na rede para reduzir as variações provocadas por desligamentos ou instabilidades.

Com a conclusão da obra em meio à pandemia de Covid-19, usou a tecnologia para concluir a montagem e o comissionamento do compensador estático. Essa etapa de montagem e testes dos equipamentos, segundo a Neoenergia, é realizada por profissionais da Suécia, que não poderiam viajar ao Brasil em razão do coronavírus.

A companhia adotou, por isso, a solução de realidade virtual, entre outras. “Um especialista na Suécia acompanhou a montagem e parametrizações realizadas pela equipe aqui no Brasil, usando óculos de realidade virtual. O uso de novas tecnologias foi decisivo para a conclusão da Montagem da Subestação e sua energização”, diz Luis Alves, diretor de Transmissão na Neoenergia.

Construção sobre o rio Paraná

A linha de transmissão em 230kV entre as subestações de Nova Porto Primavera e Rio Brilhante é a primeira entrega do lote 4 do leilão nº 005/2016, igualmente antes do prazo contratual, que irá reforçar o sistema elétrico no Mato Grosso do Sul.

Foram ampliadas as duas subestações e construídas 327 torres em 147 quilômetros de extensão. A última a ser içada, com cerca de 80 metros de altura, fica dentro do rio Paraná, tornando a implantação mais complexa por exigir que a montagem aconteça de forma gradual, utilizando embarcações e guindaste.

Ao todo, o lote inclui sete linhas de transmissão em 230 kV. O trecho inaugurado é o segundo mais extenso, atrás apenas do que ficará entre Rio Brilhante e Campo Grande, com 149 quilômetros.

O projeto tem 611 quilômetros de extensão, além da construção de uma nova subestação em 230/138kV e da ampliação de seis em 230kV, das quais duas já foram entregues. Para avançar com as obras e mantendo a segurança durante a pandemia de coronavírus, a Neoenergia modernizou seus processos, utilizando por exemplo drone para realização das vistorias ambientais.

Em andamento

Está em construção a maior linha de transmissão da Neoenergia, referente ao lote 4 do leilão 002/2017, entre os estados de Tocantins, Maranhão, Piauí e Bahia. Serão dois trechos em 500 kV, com total de 729 quilômetros de extensão e 1.452 torres.

A expectativa é de que, até a conclusão do empreendimento, prevista para 2021, sejam gerados cerca de 2,7 mil empregos diretos. As primeiras torres, que pesam em média 9 toneladas e medem 40 metros de altura, foram içadas em julho.

Está em curso entre a Paraíba e o Ceará a construção da linha de transmissão Campina Grande III – Santa Luzia II – Milagres II, referente ao lote 6 do mesmo leilão. As obras foram iniciadas em março de 2020 e, em julho, foi concluída a terraplanagem do terreno onde será construída a subestação Santa Luzia II.

Além da construção dessa subestação e da ampliação de mais duas, o projeto prevê a instalação de 345 quilômetros de linhas de transmissão em 500 kV, com 706 torres.