Projeção de demanda volta a aumentar em agosto, aponta ONS

Estimativa do operador é de que a carga no SIN em agosto apresente crescimento de 0,6%

A demanda por energia voltou a acelerar no mês e a previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico para agosto passou de um crescimento de 0,1% para 0,6%. Se a previsão se confirmar a carga alcançará 64.380 MW médios. Mas mesmo com essa elevação, o custo marginal de operação médio recuou em todo o país. No Sudeste/Centro Oeste, Norte e Sul a redução ficou em 9,35% na comparação com a semana operativa anteiror, no Nordeste em 2,9%, onde o valor continua descolado dos demais sendo em R$ 65,88/MWh enquanto nos demais está em R$ 90,21/MWh.
De acordo com a segunda revisão semanal do Programa Mensal de Operação para agosto, a projeção de vazões não apresentou grandes diferenças ante a última previsão. No SE/CO está em 75% da média de longo termo, no Sul em 67%, no NE em 69% e no Norte é esperado o índice de 75% da média histórica.
Quanto aos reservatórios é projetada a continuidade do deplecionamento na comparação com os volumes esperados para esta sexta-feira, 14 de agosto. No SE/CO que possui a maior capacidade de armazenamento a projeção é de encerrar o mês com 42,1% do volume útil ocupado. No Sul é de 45,8%, no NE está em 72,2% e no Norte 69,4% da capacidade.
Já a estimativa de despacho térmico é de 4.284 MW médios, sendo que a maior parte de usinas por inflexibilidade com 3.160 MW médios. Por ordem de mérito são 787 MW médios e outros 337 MW médios por restrição elétrica.