Itaipu bate novo recorde e chega a 55 milhões de MWh no ano

Produtividade média do ano chegou a 1,0888 MWmed/m³/s e mostra êxito na gestão da água

A usina de Itaipu atingiu no último domingo, 20 de setembro, a marca de 55 milhões de MWh produzidos em 2020. A produtividade média – que mostra a relação entre a quantidade de energia gerada com o volume de água que passou pelas unidades geradoras, ou seja, a vazão turbinada –  de 2020 chegou a 1,0888  MWmed/m³/s, ante o recorde anterior, de 1,0764 MWmed/m³/s em 2019.  O indicador de produtividade nunca foi tão alto como em 2020. A produção parcial da usina em 2020 seria suficiente para atender ao consumo de energia elétrica de todo o mundo por 21 horas; do Brasil por um mês e 12 dias; da cidade de São Paulo por dois anos; do Paraguai por três anos e 11 meses; do estado do Paraná por um ano e nove meses; ou de 95 cidades do porte de Foz do Iguaçu por um ano.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, observa que o desempenho da usina neste ano de pandemia será fundamental para que o Brasil tenha disponibilidade energética para impulsionar a retomada do crescimento econômico.  De acordo com a Diretoria Técnica da usina, entre os motivos para o sucesso no uso da matéria-prima, a água, extraindo dela a máxima geração de energia possível, está principalmente a relação entre gestão da produção e dos ativos na binacional.

Para o  superintendente de Manutenção da Itaipu, Marco Aurélio Siqueira Mauro, em um ano de inúmeras dificuldades hidrológicas e com uma pandemia que restringe em muito nosso dia a dia na usina, as equipes da Diretoria Técnica, especialmente as de Operação e Manutenção, se desdobram para manter a disponibilidade, confiabilidade, produtividade e planos de manutenção em dia. Segundo o superintendente de Operação, José Benedito Mota Júnior, os índices de produção e produtividade alcançados até o momento em 2020 são o resultado do trabalho conjunto e da sinergia entre as áreas binacionais de Operação e Manutenção da usina.