Pedidos de turbinas eólicas caem 45% no mundo, diz Wood Mackenzie

Demanda por equipamentos offshore na Europa contribuíram para minimizar os impactos no mercado global

Os pedidos de turbinas eólicas no mundo encolheram 45% entre maio e agosto de 2020, quando comparado com o desempenho global do segundo quadrimestre de 2019, de acordo com a nova análise de mercado da consultoria Wood Mackenzie divulgada nesta quarta-feira, 14 de outubro. No total, o segundo quadrimestre de 2020 apresentou 17 GW em pedidos de turbinas eólicas globalmente, equivalente a US$ 16 bilhões em volume financeiro.

Os Estados Unidos e a China foram responsáveis por um encolhimento na demanda de 18 GW. Entretanto, apesar na queda no comparativo com 2019, o resultado neste ano ainda é superior aos de 2016, 2017 e 2018, como é possível ver no gráfico abaixo.


A demanda por turbinas offshore em países como Reino Unido, Holanda e França contribuíram para minimizar os impactos no mercado global eólico. Segundo a consultoria, a entrada de pedidos offshore global capturou 38% – ou 6,5 GW – de todos os pedidos do segundo quadrimestre de 2020, o que representa um aumento de 40%.

Luke Lewandowski, diretor de pesquisa da Wood Mackenzie, destaca que os desenvolvedores de parques eólicos onshore continuam buscando modelos de turbinas com maior potencia para compensar restrições de espaço. Os modelos com 5 MW ou mais são os mais procurados no mercado.