Fitch afirma ratings de debêntures da AES Tietê Eólica

Classificação ‘aa+(bra)’ para emissão de R$ 146 milhões em duas séries foi avaliada com Perspectiva Estável

A agência de classificação de risco Fitch Ratings afirmou os Ratings Nacionais de Longo Prazo ‘AA+(bra)’ da primeira e da segunda séries da primeira emissão de debêntures da AES Tietê Eólica, ambas com Perspectiva Estável, cada uma com valor de R$ 73 milhões e vencendo em dezembro de 2025.

A análise baseia-se em contratos de venda de energia a preços fixos por vinte anos no mercado regulado e celebrados com volume certificado a P-50. Em caso de déficit de geração de energia, existe exposição ao Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) para aproximadamente 60% do volume vendida pelo projeto.

Segundo a Fitch, a estrutura de dívida inclui uma conta reserva equivalente a 12 meses do serviço da dívida da empresa, com o perfil de Índices de Cobertura do Serviço da Dívida (Debt Service Coverage Ratios – DSCRs) do projeto, com mínimo de 2,4 vezes e médio de 4,9 vezes no cenário de rating, mas com a classificação limitada à qualidade de crédito da holding, apesar dos fortes DSCRs.

A agência lembrou que a pandemia e as medidas para sua contenção criam, a curto prazo, um ambiente global de incerteza para o setor de energia, e que as informações operacionais da AES Tietê Eólica não indicam que seu desempenho tenha sido comprometido, assim como o de outros ativos de transmissão no Brasil, seguindo atenta as alterações significativas nas receitas e no perfil de custos que podem mudar conforme a resposta da atividade econômica e das restrições governamentais à situação.