Vivo inaugura sua primeira usina solar no DF

No primeiro semestre de 2021, uma nova usina solar deverá entrar em operação no Distrito Federal

A Vivo. empresa de serviços de telecomunicações, inaugurou a sua primeira usinas fotovoltaica no modelo de geração distribuída, no Distrito Federal. A unidade está instalada na região do Café Sem Troco, núcleo rural de Paranoá, com 4,8 MWp.

A energia produzida irá atender a mais de 530 unidades da empresa, como prédios administrativos e outros equipamentos localizados na área de concessão da Companhia Energética de Brasília.

No comunicado divulgado à imprensa nesta quarta-feira, 18 de novembro, o valor investido da usina solar não foi revelado pela Vivo. “Este é mais um passo importante para a Vivo, que avança em seu modelo de geração distribuída de energia, com benefícios econômicos, sociais e ambientais também para a comunidade do entorno”, escreveu o diretor de Patrimônio da Vivo, Caio Guimarães.

Vivo terá 80% de consumo por GD

A planta de produção de energia elétrica foi construída pela Athon Energia, em uma área que equivale a 15 mil metros quadrados. No período de construção, a usina “Athon 100 Brasília” gerou aproximadamente 110 empregos diretos e 60 indiretos e na fase de operação, irá gerar 20 empregos, entre diretos e indiretos.

Em todo o Centro-Oeste, já são quatro usinas em operação pela Vivo, incluindo Aripuanã (MT) e Rio Verde (GO), de fontes hídricas, e Bela Vista de Goiás (GO), de fonte solar. No primeiro semestre de 2021, uma nova usina de fonte solar deve entrar em operação pela Vivo no Distrito Federal.

Em julho, a Vivo anunciou que passará a produzir cerca de 80% da energia consumida em baixa tensão por meio da geração distribuída. A fonte solar será responsável por 61% do projeto, seguida pela hídrica com 30% e biogás os 9% restantes. A iniciativa, aponta a companhia, abrange todas as regiões do país, com usinas operando em 23 estados além do Distrito Federal.