Copel aplicou R$ 511 mi em geração e transmissão em 2020

Recursos foram empregados em obras de novas usinas, linhas de transmissão e subestações, além de ampliações e modernização de instalações já existentes

A Copel destinou R$ 511 milhões ao seu segmento de geração e transmissão de energia ao longo de 2020. De acordo com a empresa, os recursos foram aplicados em obras de novas usinas, linhas de transmissão e subestações de energia. Além disso, a companhia investiu em ampliações, reforços e modernização de instalações já existentes. 

Desse montante, cerca de R$ 130 milhões foram direcionados às obras de implantação da linha de transmissão que irá conectar as subestações Curitiba Leste (PR) e Blumenau (SC), reforçando o sistema elétrico da região Sul do Brasil. A linha terá 144 quilômetros em 525 mil kV, numa implantação que envolveu a montagem de 279 estruturas metálicas para sustentação de 1.728 quilômetros de cabos elétricos, e que deve ser finalizada no início de 2021.

Outro projeto que avançou é a recapacitação da linha que conecta Londrina e Ibiporã, em 230 kV, obra que visa tornar a rede mais confiável e robusta na região Norte do Paraná.

Parcerias e geração 

Outra frente destacada pela estatal paranaense foram as parcerias, como na conclusão das obras da empresa Mata de Santa Genebra Transmissão – constituída por Copel GT (50,1%) e Furnas (49,9%) – que englobam cerca de 880 quilômetros de linhas de transmissão operando em 500 kV nos Estados de São Paulo e no Paraná, além da nova subestação Fernão Dias (SP) e das ampliações das subestações Bateias (PR), Itatiba, Araraquara 2 e Santa Bárbara d’Oeste (SP).

No segmento de geração, a maior parte dos aportes de 2020, cerca de R$ 93 milhões, foi direcionada à instalação da PCH Bela Vista (29,81 MW), já na reta final. Além da usina, o projeto inclui a construção de uma subestação elevadora e uma linha de distribuição de alta tensão que fará a conexão com a subestação Dois Vizinhos e permitirá o escoamento da energia a ser gerada a partir de 2021 para o SIN.

Outro ativo que recebeu valor expressivo foi a UHE Governador Bento Munhoz da Rocha Netto (PR, 1.676 MW),  que angariou R$ 36 milhões, com a modernização da terceira unidade geradora sendo concluída em setembro. Já a quarta e última turbina parou de produzir energia em outubro para também passar por uma renovação total.