Nexway e Perfin anunciam aporte de R$ 1 bi em eficiência energética

Parceria tem por objetivo desenvolver um mercado com potencial de movimentar mais de R$ 20 bilhões no Brasil

A Nexway Eficiência, do Grupo Comerc, e o Perfin Mercury, fundo de investimento em participações em infraestrutura da Perfin Asset, firmaram um acordo para investir R$ 1 bilhão na área de eficiência energética no Brasil nos próximos três anos. Em nota, as duas empresas afirmaram que devem anunciar nos próximos meses os primeiros projetos da parceria, que ocorre em um momento estratégico para ambas corporações.

Em novembro de 2020, a Nexway reportou crescimento de 141% em recebíveis ao longo do ano, o que culminou no lançamento de uma nova marca, com estrutura independente e foco na expansão da modalidade no Brasil. A companhia tinha mais de R$ 53,5 milhões de aporte em 70 iniciativas, e agora projeta atingir mais R$ 300 milhões até 2023 junto a Perfin, que por sua vez está fechando sua primeira rodada de captação e objetiva aplicar recursos nos setores de energia e saneamento.

Com mais de R$ 17 bilhões sob gestão, sendo quase R$ 5 bilhões geridos pela Perfin Asset e R$ 13 bilhões pela Perfin Wealth, o fundo busca retornos por meio de processos de análise e analistas experientes. A parceria com a Comerc já acontece em outras frentes de negócios e juntas as empresas pretendem explorar o mercado de eficiência energética, que segundo as partes tem potencial de movimentar mais de R$ 20 bilhões no Brasil, ainda que seja pouco desenvolvido.

O desperdício de energia é uma realidade com impactos econômicos ao país. De acordo com o Governo Federal, é estimado que, se nada for feito no sentido da eficientização, o Brasil poderá ter um desperdício de 30.000 GWh ao ano a partir de 2029 apenas na indústria e no comércio, o que representa mais de 37% de toda a geração de Itaipu em 2019.

Já as projeções da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) com projetos de eficiência para a indústria apontam um potencial de R$ 4 bilhões em economia por ano, e R$ 2,4 bilhões para o segmento do varejo.