Comparação com 2020 mostra fevereiro preocupante para reservatórios do SE/CO

Níveis recuaram de 40,3% em 2020 para 29,7% em 2021

Os reservatórios do submercado Sudeste/ Centro-Oeste terminaram o mês de fevereiro deste ano com volume de 29,7%. Apesar de uma tendência de recuperação no sistema com aumento nas afluências, esse volume mostra que houve um grande recuo na comparação com os níveis registrados ao fim de fevereiro de 2020. Naquele ano, o Sudeste encerrava fevereiro com volume de 40,3%, uma diferença de 10,6 pontos percentuais. O reservatório de Furnas tinha volume de 44,24% ao fim de fevereiro de 2020, mais do que os 33,13% ao fim do mês em 2021.

No contraponto, a região Sul em um ano teve uma forte recuperação em um ano. Em 2020, os níveis terminaram o mês de fevereiro com volume de 20,5%, representando a forte crise hídrica que assolou a região. Já no fim de fevereiro de 2021, os reservatórios operavam com volume de 63,7%, mais de 40 pontos percentuais acima. A usina de Passo Real operava com 43,02% no fim de fevereiro de 2020, enquanto este ano recuou para 32,96%.

No Norte, houve uma leve melhora nos níveis de fevereiro em um ano. Em 2020, o volume ao fim de mês era de 45,7%. Este ano, os níveis ficaram em 52,7%, cinco pontos a mais do que o registrado no ano anterior. A hidrelétrica de Tucuruí operava com 65,08% da sua capacidade no fim de fevereiro do ano passado. Este ano o volume aumentou para 63,27%.

O Nordeste foi a região em que os níveis de fevereiro ficaram estáveis na comparação com o mesmo mês do ano passado. No último dia de fevereiro de 2020, o volume era de 60,3%. Já este ano, os níveis no  submercado estavam em 59%, pouco menos de um ponto em relação ao ano anterior. O volume na usina de Sobradinho no fim de fevereiro do ano passado era de 47,72%. Já neste ano o volume teve alta, ficando em 57,41%.