Mulheres ganham destaque nas empresas do setor elétrico

Das áreas técnicas ao alto escalão, mulheres dominam espaços antes ocupados por homens

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, para onde quer que se olhe há exemplos de superação e de conquista feminina em espaços antes dominados pelos homens. No setor elétrico não é diferente. A participação feminina está ganhando força e se expandindo, com mais mulheres chegando a posições na alta gestão.

Cada vez mais as mulheres vem ganhando destaque em áreas técnicas, construindo linhas e subestações, operando redes, gerenciando eletricistas e dirigindo equipes. Diversas companhias destacam a busca por igualdade de gênero no setor corporativo. Como é o caso da Copel, que informou que possui 1.511 empregadas em seu quadro de funcionários, sendo que 105 mulheres ocupam cargos de gestão, grupo do qual faz parte a engenheira eletricista Suzane Vivian Fritzen Puchta. Ela coordena os trabalhos no Centro Integrado da Distribuição, de onde controla o fornecimento de energia aos 4,8 milhões de consumidores da Copel em todo o Paraná, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Na EDP, aumentar a presença feminina no quadro de colaboradores e nos cargos de liderança está entre as metas para promover a inclusão e ampliar a diversidade. Até 2022, a companhia estabeleceu o compromisso de ter pelo menos 20% de mulheres na liderança, e 30% de mulheres no quadro geral de colaboradores. Em fevereiro, a companhia anunciou Fernanda Pires como a executiva responsável pela recém-criada vice-presidência de Pessoas e ESG, cadeira focada no reforço da incorporação de temáticas ambientais, sociais e de governança corporativa aos negócios e no aumento da sua integração nos processos de tomada de decisão. Trata-se da primeira mulher a ocupar uma vice-presidência na EDP, no Brasil.

Na Pöyry, empresa europeia de engenharia, projetos e consultoria, a participação feminina vem aumentando continuamente e já representa 24,5% do time de colaboradores, índice expressivo no setor de Engenharia. A companhia destaca que caso uma vaga esteja sendo disputada por duas pessoas em condições de igualdade técnica e uma delas for mulher, a Pöyry dá a preferência por contratá-la. Além disso, buscam desenvolver internamente as lideranças femininas.

O Grupo Energisa reúne histórias de superação e reconhecimento profissional de colaboradoras que exercem funções que, até pouco tempo atrás, eram predominantemente masculinas. A companhia destacou que possui uma diversidade cultural muito grande, e é natural que esta diversidade também seja refletida em sua estrutura. Para o futuro, é possível ver um caminho muito promissor onde as mulheres terão um espaço ainda maior. E ressaltou que além de muito competentes, as mulheres conseguem dar mais atenção ao cliente porque são mais cuidadosas.

A Enel destaca que a igualdade de gênero, bem como a diversidade corporativa, está na base de sua abordagem Open Power, que advoga pelo empoderamento das mulheres em toda a sua jornada na organização, desde os níveis iniciais até funções gerenciais, com atenção especial à integração trabalho-vida bem-estar. Por esse motivo, a Enel foi incluída no ranking de TOP 100 empresas globais pela equidade de gênero, desenvolvido pela Equileap.

Já na Isa Cteep, além de incentivar discussões de melhoria em torno da diversidade e inclusão, já foram dados alguns ponta pés iniciais. Em 2020, a diretoria executiva se renovou e, hoje, 40% dela é formada por mulheres. Como é o caso de Gabriela Desiré, primeira mulher a ocupar o cargo de Diretora Executiva de Operações da companhia.

Nós, do Portal CanalEnergia, aproveitamos para homenagear as mulheres pelo dia de hoje. Costumamos celebrar as mulheres somente um dia do ano, mas, em nome de toda nossa equipe, gostaríamos de lembrar que valorizamos sua energia e seu trabalho todos os dias do ano e muito além do nosso setor! Então, um feliz todos os dias a todas as mulheres de ENERGIA!