Nível esperado de chuvas para março fica menor, aponta ONS

Previsão de carga para março permaneceu relativamente estável ante última previsão, crescimento de 2,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado

A segunda revisão semanal do Programa Mensal de Operação para março apresentou projeção de vazões menores em todos os submercados quando comparado à expectativa da semana anterior. Apenas no Norte é que o nível de energia natural afluente deverá ficar acima da média histórica.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, as novas projeções para o final do mês aponta uma ENA de 107% da média de longo termo no Norte. No Sudeste/ Centro-Oeste, a nova projeção é de 78% da MLT, no Sul passou a 71%, enquanto no Nordeste a previsão é de fechar março com 67% da média histórica de 91 anos.

O nível de carga permaneceu praticamente estável, passou de crescimento de 2,2% para 2,3%, com pouco mais de 70 mil MW médios no mês. São esperados aumentos em todo o país. No SE/CO é de 2%, de 5,6% no Norte, 4,3% no NE e de 0,2% no Sul.

Em termos de armazenamento nos reservatórios de hidrelétricas do SIN a projeção do ONS está menos otimista do que na semana passada. Em todas as regiões a nova previsão é de volume menor ao final do mês quando se compara ao projetado na revisão anterior do PMO. O maior índice está no Norte com 79,8%, no NE é estimado 68,8%, no Sul 61,3% e no SE/CO, o maior do país, 37% do total.

Com isso, o custo marginal de operação médio aumentou nos três submercados que apresentam valores. No Norte continua zerado. Nos demais está estimado em R$ 133,41/MWh no SE/CO e Sul e R$ 133,31/MWh no NE. A diferença está no patamar de carga pesado que está em R$ 137,27 nos dois primeiros e R$ 136,87 no terceiro. Nos demais patamares os valores estão equacionados em R$ 136,16/MWh na média e R$ 129,98 na leve.

A expectativa de geração térmica na semana operativa que se inicia neste sábado 13 de março é de 5.130 MW médios. A maior parte por inflexibilidade com 4.081 MW médios. São mais 571 MW médios por restrição elétrica e o menor volume por ordem de mérito 478 MW médios.