Ministro lembra revisão do tratado ao empossar diretor de Itaipu

Segundo Albuquerque, Brasil e Paraguai tem um base solida de convivência e não partirão do zero na negociação do Anexo C

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou durante a transmissão de cargo do novo diretor-geral brasileiro de Itaipu que em breve o Paraguai e o Brasil terão diante de si o desafio de fazer a revisão do Anexo C do tratado da usina, que trata das bases financeiras e da prestação dos serviços de eletricidade.

Albuquerque destacou que o empreendimento chega aos 50 anos já amortizado,  e que na negociação os dois países não vão partir do zero, como na década de 1970, pois desenvolveram uma base sólida de convivência em todos esses anos. A revisão do anexo vai acontecer em 2023, mas será precedida de negociações entre representantes do corpo diplomático dos dois países.

Na cerimonia realizada em Foz do Iguaçu nesta quarta-feira (7), o general da reserva João Francisco Ferreira foi empossado como  diretor-geral da empresa do lado brasileiro com um discurso de continuidade do trabalho de seu antecessor. Ele substitui o também general Silva e Luna, que deixou Itaipu para assumir a presidência da Petrobras.