Santander anuncia redução de taxas para projetos solares fotovoltaicos

Instituição financeira ampliou prazo de pagamento para 96 meses e carência de 120 dias para pagamento da primeira parcela

O Santander passou a adotar novas condições para os empreendedores rurais implantarem projetos fotovoltaicos em suas propriedades. De acordo com a instituição financeira, as taxas mínimas de juros foram reduzidas de 0,79% a.m. para 0,74% a.m. e o prazo de parcelamento passou de 76 para 96 meses, com 120 dias de carência para pagamento da primeira parcela.

A linha de financiamento pode ser acessada por empresas de todos os portes e pessoas físicas que planejam instalar o sistema em casa. a instituição financeira afirma que para não é necessário ser correntista do banco.

O banco aponta que a carência de 120 dias foi definida com base em dados de mercado que apontam esse prazo como o necessário para o início da produção efetiva da energia. Neste período, acrescenta em comunicado, o cliente pode aguardar por trâmites como importação dos equipamentos e instalação do sistema.

Esse nicho de mercado deve apresentar um grande espaço para crescimento, cita o diretor de Agronegócios do Santander Brasil, Carlos Aguiar. Isso porque, referindo-se a números da Absolar, apenas 13% da energia fotovoltaica do país está atribuída ao segmento agrícola.

Os interessados na linha podem fazer orçamento do projeto digitalmente, com base no seu atual custo de energia elétrica. A estimativa do banco é de que podem ter o retorno em até quatro minutos da aprovação do crédito. A contratação do financiamento pode ser realizada nas agências ou diretamente com distribuidores de placas fotovoltaicas.

Em seguida, já com o crédito aprovado, o +Vezes Santander – programa da Financiamentos que oferece produtos ou serviços com prazos maiores, sem usar o limite do cartão de crédito – libera o recurso para o distribuidor.

Segundo dados da própria instituição financeira, nos primeiros quatro meses de 2021, a Santander Financiamentos realizou, 78% mais empréstimos do que o mesmo período no 2020, sendo 70% com pessoa física e 30% com empresas. A financeira afirma trabalhar com mais de mil distribuidores e integradores de sistemas de geração distribuída solar habilitados a fazer a venda e o financiamento diretamente ao consumidor final.