Programa da CPFL promove economia de R$ 6,4 mi para hospitais

ONU reconheceu ações de eficiência energética da companhia em 84 instituições de saúde até o final de 2020

O programa CPFL nos Hospitais foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo de boa prática ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A iniciativa foi escolhida por ajudar instituições públicas e filantrópicas a reduzir seus custos de energia permitindo que os valores economizados sejam usados nas despesas da própria instituição de saúde.

Até o final de 2020, as ações de eficiência energética da companhia contribuíram com 84 instituições públicas localizadas nas regiões Sudeste e Sul, promovendo uma economia de R$ 6,4 milhões nas contas de luz. Outros 115 projetos estão em andamento e 109 em processo de formatação.

Entre outros resultados constam 55.830 lâmpadas antigas substituídas por LEDs; 5.550 kWp de capacidade instalada em sistemas fotovoltaicos; previsão de 13,6 GWh ao ano em geração solar, volume suficiente para abastecer 5.769 residências, além de 1.027 toneladas de CO2 evitadas, equivalentes ao plantio de mais de 6.159 árvores.

O montante investido entre 2019 e dezembro de 2020 chegou a R$ 72,2 milhões. Além disso, a CPFL Energia aplicou cerca de R$ 8 milhões em ações de melhorias de infraestrutura e humanização hospitalar, beneficiando 340 mil pessoas. Por meio da conta de energia, R$ 4,2 milhões foram doados por clientes das distribuidoras do grupo a 105 hospitais.

Pandemia e expectativas

A disseminação da Covid-19 aumentou a importância do projeto, que integra iniciativas de eficiência energética e investimento social privado para impulsionar a melhoria do serviço prestado pelas instituições públicas de saúde, essenciais para a qualidade de vida da população local.

A expectativa é que as ações permitam às instituições de saúde economizar cerca de R$ 18 milhões ao ano com a redução da conta de energia, valor suficiente para custear o atendimento médico de mais 75 mil pacientes por ano. No longo prazo, representado pela vida útil de 20 anos dos painéis solares, a economia poderia ajudar a fornecer tratamento para mais de 1,5 milhão de pessoas.

No ano passado o Instituto CPFL direcionou R$ 7,3 milhões em melhorias de infraestrutura e iniciativas de humanização hospitalar, além de R$ 750 mil para ações de combate à pandemia para o público idoso, além da doação de cerca de 6 milhões com recursos próprios da empresa.

O programa envolvendo instituições de saúde conta com três frentes de trabalho: primeiro é eficiência energética, com aporte de até R$ 150 milhões nas quatro distribuidoras do grupo – CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE – para atender até 300 hospitais.

O segundo é dar continuidade a uma iniciativa conduzida pelo Instituto CPFL, que por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronom) e dos Conselhos Municipais do Idoso (CMI), vem colocando recursos para melhoria nas condições dos hospitais. O objetivo é ampliar a oferta de serviços e expandir a prestação de serviços médico-assistenciais, além de apoiar a formação, treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis, realizando também pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas.

Desde 2018, estão em andamento aportes que somam R$ 4,8 milhões e incluem melhorias nos hospitais do Instituto do Câncer (Fortaleza – CE), Hospital Fornecedores Cana Piracicaba (SP), Hospital Infantil Varela Santiago (Natal – RN), Hospital de Caxias do Sul (RS), Hospital do Câncer de Barretos (SP) e Hospital Comunitário São Peregrino Lazziozi de Veranópolis (RS).

O terceiro pilar da iniciativa permite aos clientes realizar doações para os hospitais por meio da conta de energia, o que aumenta a arrecadação dos hospitais e Santas Casas, permitindo investimentos na melhoria das condições de atendimento. A CPFL Total oferece esse serviço para 94 hospitais nos estados do Rio Grande do Sul e de São Paulo, gerando em média R$ 3,7 milhões por ano, recursos que auxiliam a gestão diária dos hospitais participantes.