Torre cai em SP e afeta escoamento de Itaipu ao SIN

Ocorrência no começo da noite de ontem reduz em 700 MW a transmissão pelo Bipolo de Corrente Contínua de Furnas, sem previsão ainda de retorno

Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico, o primeiro bipolo do elo de 600 kV da linha de transmissão Foz-Ibiúna sofreu um desligamento automático no começo da noite da última terça-feira, 13 de julho, mais precisamente às 19:12 horas, afetando o escoamento da energia gerada pela hidrelétrica de Itaipu.

Furnas, responsável pelo empreendimento, afirmou que uma de suas equipes técnicas constatou a queda da torre nº 1372 na altura de Capão Bonito (SP) e referente ao circuito duplo da LT. A empresa ainda deve enviar um posicionamento da situação na parte da tarde.

De acordo com o boletim do ONS, a transmissão no elo de corrente contínua que estava em 3.000 MW reduziu para cerca de 2.300 MW, valor máximo que pode ser transmitido pelo segundo bipolo, em face do mesmo operar com apenas três conversores.

Esse padrão de escoamento tornou-se necessário porque a energia produzida no setor de 50 Hz da binacional não pode se integrar diretamente ao sistema brasileiro, onde a frequência é 60 Hz. Assim a geração em corrente alternada é convertida para corrente contínua até Ibiúna (SP), onde é convertida novamente para corrente alternada, mas em 60 Hz. No caso da ocorrência o Operador informa que a frequência atingiu 59,76 Hz e não há previsão de retorno para o sistema.