Ilumina Pantanal entrega sistemas de geração solar em comunidades do MS

Projeto é parceria da Energisa com o Governo do Mato Grosso do Sul e Governo Federal e deve ter investimentos de R$ 134 milhões

O projeto Ilumina Pantanal oficializou nesta quarta-feira, 28 de julho, a instalação de um sistema de geração solar fotovoltaica e armazenamento em baterias na residência de Enaurina da Silva Rodrigues, de 59 anos, nascida e criada na região do Pantanal do Paiaguás. Ela é uma das 2.090 famílias a receber os microssistemas semelhantes, em que o excedente de energia solar gerado é armazenado para dar continuidade ao fornecimento à noite ou em dias chuvosos e nublados.

A cerimônia foi realizada em Porto de São Pedro, um dos principais portos de embarque e desembarque de gado da planície pantaneira, em Corumbá. O evento contou com a presença do Ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque; do Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; do presidente do Grupo Energisa, Ricardo Botelho; do diretor-presidente da Energisa Mato Grosso do Sul, Marcelo Vinhaes; o diretor técnico Paulo Roberto dos Santos; diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica, Hélvio Guerra; e o diretor de Regulação do Grupo Energisa, Fernando Maia.

De acordo com Marcelo Vinhaes, diretor-presidente da Energisa Mato Grosso do Sul. o fornecimento de energia por fonte renovável ao Pantanal sul-mato-grossense é resultado de investimento em inovação, que traz as mais avançadas tecnologias para desenvolver esta solução pioneira que respeita o meio ambiente. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque reconheceu a importância da iniciativa. Segundo ele, o projeto traz dignidade, perspectivas e sustentabilidade ao Pantanal, um patrimônio da humanidade e orgulho para os brasileiros. O presidente da Energisa, Ricardo Botelho, ressaltou o compromisso da empresa em vencer desafios para levar energia às comunidades localizadas em áreas remotas.

O projeto Ilumina Pantanal é uma parceria do Grupo Energisa com o Governo do Estado do Mato Grosso do Sul e o Governo Federal, por meio do Ministério de Minas e Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica. Até 2022, a iniciativa levará energia elétrica a 2.167 unidades consumidoras, o que representa em torno de 5 mil habitantes espalhados por uma área de 90 mil km², nos municípios de Corumbá, Aquidauana, Coxim, Ladário, Porto Murtinho, Rio Verde e Miranda. Desse grupo, 77 famílias já foram atendidas por rede de distribuição convencional, e agora começam a ser implementados para os demais os sistemas individuais de geração solar. Em todas as unidades consumidoras haverá a instalação básica de elétrica predial, com tomadas e lâmpadas de LED, mais eficientes e econômicas. Ao todo, a Energisa e o Governo Federal estão investindo R$ 134 milhões no projeto.

“O Ilumina Pantanal é uma prova de que podemos aliar a preocupação com o meio ambiente com as políticas públicas bem definidas para produzirmos resultados favoráveis aos consumidores mesmo nos locais mais difíceis de serem alcançados”, afirmou Botelho.

O ministro também participou da reinauguração da UTE William Arjona (MS – 190 MW). A usina foi a primeira a usar gás do gasoduto Brasil-Bolívia. A térmica é de propriedade da Delta, estava desativada desde 2017 e voltou a operar no último nesse mês.